De olho no futuro: como criar um filho bondoso e com empatia?

Não existe jeito certo ou errado de ensinar às crianças alguns valores, mas a maneira como você lida com algumas situações hoje, pode fazer toda a diferença lá na frente

(Foto: Getty Images)

Se você tem dois filhos, com certeza já passou por aquela briga clássica de irmãos por algum brinquedo. Você provavelmente já tentou várias maneiras de apaziguar essas discussões, mas muitas delas foram frustrantes. Esse é um desafio e tanto, mas de acordo com Catherine Pearlman, autora do livro “Ignore It!” (em português, “Ignore! Como Desviar o Olhar Seletivamente Pode Diminuir os Problemas de Comportamento e Aumentar a Satisfação dos Pais”), antes de tudo é necessário considerar as habilidades que você quer que seus filhos aprendam, além dos valores que você deseja ensiná-los.

-Publicidade-

Então se você quer que seus filhos aprendam a compartilhar e valorizar a bondade, saiba que nunca haverá uma maneira certa de ensinar isso, ou seja, faça do seu jeito. Aprenda a reformular a maneira como você reage a uma situação específica para que isso se alinhe com o seu objetivo geral. Aqui estão algumas sugestões que podem te ajudar.

O ALTRUÍSTA

-Publicidade-

A ESTRATÉGIA: Ser exemplo de bom ajudante.

O OBJETIVO: Uma criança que gosta de ajudar.

BÔNUS: Seu filho terá compaixão.

Se você quer que seu filho veja os problemas das pessoas e seja proativo para intervir e ajudar, faça o mesmo por ele. E você pode fazer com que isso aconteça perguntando rotineiramente: “O que posso fazer para te ajudar?”, além de deixar que ele veja você perguntando a mesma coisa para outras pessoas. Dessa forma, você o inspirará a ter esse instinto.

O CURIOSO

A ESTRATÉGIA: Fazer a criança comer algum alimento novo.

O OBJETIVO: Um filho que come de tudo, sem frescura.

BÔNUS: Isso reforçará a curiosidade do seu filho.

Sempre elogie quando seu filho experimentar coisas novas, como: “Olhe para você, comendo um brócolis. Que demais!”. Além disso, reconheça as reações da criança. O objetivo é ajudar a criar uma associação entre curiosidade, coragem e os comentários positivos. “As refeições são boas oportunidades para aprender porque criam novas possibilidades e experiências”, diz Catherine.

O AUTOCONFIANTE

A ESTRATÉGIA:  Conexão entre vocês antes de dormir.

O OBJETIVO:  Um filho que durma bem.

BÔNUS: Isso fará com que ele se sinta seguro.

Muitas crianças que aprenderam a dormir bem podem passar por fases posteriores de ansiedade ou solidão. “Você precisa dar ao seu filho uma sólida confiança de que não importa o que aconteça, ele sempre pode contar com você e ele nunca estará sozinho”, conta Edward Hallowell, autor de “The Childhood Roots Of Adult Happiness” – ou, em português, “As raízes da infância na felicidade adulta”. Na prática, você pode colocar um colchonete ao lado da sua cama para que seu filho deite momentos antes de ir para a própria cama ou caso se sinta sozinho no meio da noite. No começo da adaptação, isso pode ajudar seu filho a se sentir mais seguro por ficar próximo de você durante a noite, mesmo que por pouco tempo. Tenha em mente que as crianças aprendem muito pelo exemplo que têm em casa.

DE BEM COM A VIDA

A ESTRATÉGIA: Enaltecer as coisas boas.

O OBJETIVO: Uma criança com perspectiva positiva.

BÔNUS: Ela será uma pessoa com gratidão.

Aproveite todas as oportunidades que puder para destacar as coisas boas que estão acontecendo ao redor de vocês – mesmo as mais simples, como a vista de um parente ou um passarinho ter pousado na janela de casa, por exemplo. Envolver seus filhos com energia positiva fará com que ele tenha capacidade de sentir-se satisfeito com o que ele é e com o que ele tem.

O RESILIENTE

A ESTRATÉGIA: Oferecer apoio.

O OBJETIVO: Uma criança que sabe lidar com a frustração.

BÔNUS: Seu filho desenvolverá a resiliência.

A primeira coisa que você deve fazer é perguntar para o seu filho em qual horário, onde e de qual forma ele deseja fazer a lição de casa. Tudo bem se você acredita que o lugar e momento perfeito sejam antes do jantar na mesa da sala, mas ele é uma pessoa diferente de você e pode preferir de outra maneira. Ou seja, na prática, a melhor estratégia para o sucesso em longo prazo é dar certa autonomia e controle para a criança, assim ela encontrará qual a melhor maneira, lugar e horário para fazer seus deveres. Sempre com a sua supervisão, claro.

Leia também:

Criança não namora: entenda os perigos de incentivar esse comportamento com o seu filho

6 dicas infalíveis para melhorar o comportamento do seu filho

Está na mão: leia o comportamento esperado da criança de cada signo

-Publicidade-