De olho no prato: como garantir uma alimentação saudável para as crianças

Uma nutricionista do São Cristóvão Saúde esclarece dúvidas sobre como criar hábitos saudáveis na alimentação desde a infância

Resumo da Notícia

  • O que construímos na infância nos acompanha pelo resto da vida
  • É importante construir hábitos saudáveis desde cedo
  • A nutricionista Cintya Bassi, do São Cristóvão Saúde, esclarece dúvidas de como melhorar a alimentação das crianças
São Cristóvão Saúde oferece equipe especializada para orientar as famílias sobre nutrição

Tudo o que construímos na infância nos acompanha pelo resto da vida. Se nos alimentamos mal e não fazemos atividade física desde cedo, a tendência é levar isso pra frente. Segundo a Organização Mundial da Saúde, hoje mais de 40 milhões de crianças são obesas. Estudos apontam que, sem uma troca de postura, são altas as chances de que elas desenvolvam doenças – como diabetes e hipertensão – e continuem acima do peso na fase adulta.

-Publicidade-

A boa notícia é que dá para evitar esse cenário! O primeiro passo é ter uma alimentação balanceada já na gravidez. “A amamentação também é uma forma de prevenção. A partir do momento que a criança ingere outros alimentos, os pais precisam ensinar hábitos saudáveis, falar sobre a diversidade dos alimentos e servirem como exemplo”, explica a nutricionista Cintya Bassi, coordenadora de Nutrição do Grupo São Cristóvão Saúde, filha de Aparecida e Paulo. Mas a mudança não acontece do dia para noite: criar hábitos mais saudáveis leva tempo e exige um esforço coletivo. Para te ajudar nessa missão, esclarecemos as principais dúvidas sobre o assunto com a especialista:

Com as sugestões de uma nutricionista, as crianças podem desenvolver hábitos saudáveis desde cedo

Como criar uma cultura de alimentação saudável desde a infância?

-Publicidade-

Se a família não tinha hábitos saudáveis antes, é preciso paciência para conquistar uma nova cultura. As mudanças devem ser equilibradas e introduzidas de maneira delicada, evitando a proibição ou restrição severa, para não afastar a criança dos novos alimentos. É importante fazer as escolhas corretas, limitar o número de vezes em que a criança pode comer fast food e incentivar a atividade física.

Como motivar a criança a fazer melhores escolhas alimentares?

A dica é buscar receitas apetitosas, nutritivas e pouco calóricas, em formatos e cores diferentes. Deixar a criança participar da compra, do preparo e até do plantio desses alimentos também ajuda. É importante estimular e comemorar com a criança os avanços, para dar mais segurança a ela sobre o caminho certo.

No dia a dia, os industrializados acabam sendo uma “solução” para falta de tempo para cozinhar, como driblar isso?

Dedique tempo para preparar e congelar os alimentos, em dias específicos que sejam mais tranquilos pra família. Se, ainda assim, faltar tempo para cozinhar, busque alternativas com a menor interferência possível da indústria, como restaurantes que oferecem marmitas saudáveis com alimentos orgânicos ou minimamente processados e sucos integrais de frutas sem adição de açúcar.

-Publicidade-