Criança

Designer desenvolve perucas de princesa para ajudar crianças com câncer

Bruna também ensina como fazer, quer aprender?

Nathália Martins

Nathália Martins ,Filha de Sueli e Josias

(Foto: Reprodução/Youtube)

(Foto: Reprodução/Youtube)

Bruna Szpisjak, designer e artesã, filha de Vera e Paulo, desenvolve perucas com novelos de fio acrílico para ajudar crianças que estão em tratamento contra o câncer a aumentarem a autoestima. Demais!

Como surgiu a ideia do projeto?

Foi quando conheci o The Magic Yarn Project, um projeto de artesãs no Alasca que levam magia às crianças que estão tratando o câncer. A partir daí, desenvolvi, em parceria com a empresa têxtil Círculo S/A, um protótipo de peruca mais leve, utilizando apenas 2 novelos de fio acrílico. A ideia era adaptar a peça para o clima brasileiro, além de ser mais econômico.

Quais são suas inspirações?

Do projeto no Alasca, eles usam personagens que as crianças amam, como as princesas. Depois é só usar a imaginação. Pensamos na cor dos fios do cabelo, nos acessórios que vão complementar e enfeitar as perucas. Tudo pode ser feito de acordo com o desejo da criança.

Como a peruca ajuda no tratamento das crianças?

Por ser inspirada em princesas, age de forma lúdica e permite a criança viver um sonho. Esquecer um pouco da rotina e dos cuidados médicos cria um equilíbrio emocional e, consequentemente, contribui para a melhoria física e psicológica.

Como os produtos chegam até as crianças?

A ideia é que multipliquem essa iniciativa, que as pessoas se reúnam em grupos, ensinem outras pessoas e passem essa ação do bem para outras crianças e entidades.

Assista ao vídeo da Bruna explicando direitinho como você faz a peruca:

Nossa editora-executiva, Andressa Simonini, também já ajudou crianças com câncer, mas com outro tipo de atitude: doando seu próprio cabelo. Ela compartilhou a experiência aqui com a gente, dá uma olhada:

“Ano passado, quando eu ainda era editora da Pais&Filhos, tive a honra de participar de uma reportagem sobre o Graac para abordar o assunto do câncer na infância. Na época, enviei a jornalista Carolina Piscina até a ins