Criança

Mãe posta vídeo colocando a cabeça do filho de 3 anos na privada e recebe ameaças de internautas

Kaitlyn agora está com medo de perder a guarda da criança

Jéssica Anjos

Jéssica Anjos ,filha de Adriana e Marcelo

(Foto: reprodução / Facebook)

(Foto: reprodução / Facebook)

A americana Kaitlyn Wolf, de Leesburg, Estados Unidos, insiste em defender que o vídeo publicado em seu perfil do Facebook, no último sábado (2), não passou de uma brincadeira entre mãe e filho. Na gravação ela aparece segurando a criança de ponta cabeça em cima do vaso sanitário enquanto ameaça enfiar o menino, de apenas 3 anos, na água.

Após a publicação viralizar e ganhar vários comentários negativos de internautas inconformados com a atitude da mãe Kaitlyn deletou o vídeo. “Foi uma brincadeira”, disse a americana em entrevista para o jornal local WESH. “Eu nem molhei a cabeça dele e a privada não estava suja. Ele não estava sendo torturado”, afirmou.

O filho mais velho foi quem gravou a “brincadeira”, e é possível escutar ele dizer “Deus, isso é cruel” atrás do celular. Enquanto isso a criança de quatro anos grita “não”. “Parece que ele está chorando, mas não estava. Meu filho estava rindo”, a mãe completou. “Depois do vídeo ele pediu para fazermos aquilo de novo”.

Kaitlyn explicou que resolveu punir o filho por falar palavrão. A primeira coisa que ela confessou fazer foi lavar a boca do menino com sabão. Mas ela tinha visto um filme em que alguém empurrava a cabeça de uma criança no vaso sanitário, então decidiu fazer o mesmo com o caçula. Quando eles terminaram de gravar, a mãe enviou o vídeo para uma amiga que compartilhou com o ex-namorado de Kaitlyn e foi ele o responsável por publicar nas redes sociais.

Os internautas não acharam a publicação engraçada e algumas pessoas entraram em contato com o Departamento de Polícia de Leesburg que decidiu investigar o caso.

A mãe lamentou o acontecido ter tomado uma proporção tão ruim. E, segundo a revista Marie Claire Kaitlyn afirmou estar recebendo ameaças de morte online, com pessoas estranhas dizendo que ela deveria estar morta e enterrada viva. Chegou a um ponto tão extremo que a polícia local colocou oficiais do lado de fora de sua casa para protegê-la.

Nesta quarta-feira (5), o Departamento de Polícia de Leesburg soltou uma nota sobre a investigação do caso alegando que a americana não será indiciada pelo que vídeo.

departamento de polícia

Nos trechos grifados destacamos que a polícia alega ter iniciado uma investigação assim que a gravação chegou ao Departamento. “Nós percebemos que o Departamento de Crianças e Família já tinha investigado o caso na quinta-feira, 30 de agosto, 2018, e determinado que o incidente não era um caso de abuso infantil”.

Porém, os policiais escreveram que não pausaram a investigação após essa informação. Em outro trecho destacado está escrito: “O Sargento de Lessburg pediu que processassem Kaitlyn Wolf […