Criança

Entenda por que você não deve forçar seu filho a abraçar estranhos

As crianças precisam estar no comando dos próprios corpos

Ingrid Campiteli

Ingrid Campiteli ,filha de Sandra e Paulo

(Foto: Reprodução / GettyImages)

Em época que estamos ensinando nossos filhos sobre o direito de dizer “não” e ter autonomia sobre os corpos, forçar uma criança a oferecer contato físico com alguém vai contra isso. Inclusive forçar a criança a abraçar alguém, sendo amigos e até mesmo familiares, as crianças precisam saber que estão no comando. Por isso separamos 4 motivos para você não forçar seu filho a abraçar alguém.

1. Ensina as crianças que elas não têm controle sobre seus corpos

Forçar a criança a abraçar um parente ou um colega que elas não querem, muitas das vezes, ensina que é mais fácil desistir do próprio controle do corpo para agradar a outra pessoas. E se queremos que as crianças acreditem que o corpo pertence apenas a elas, precisamos parar de pressioná-las a oferecer contato físico quando não querem.

2. A criança entende que abraçar é a única maneira de demonstrar afeto

Há muitas maneiras de mostrar afeto a parentes e amigos da família. Por exemplo, apertar as mãos e dar tchau são algumas formas que cumprimentar e agradecer, por isso, sempre deixe claro para o seu filho que qualquer maneira que ele escolher, está tudo bem e que o principal é deixar ele confortável.

3. Desconsidera a zona de conforto do seu filho

As crianças precisam ser respeitadas por sua zona de conforto, assim como nós. Se elas não se sentirem à vontade em serem abraçados, diga a ele que está tudo bem. E não se sinta culpado por isso. Dizer aos parentes que seu filho é ‘tímido’ só pelo fato dele não estar confortável em abraçar alguém, é como rotulá-los, pois o que realmente queremos é que ele desenvolva forte habilidades sociais e confiança.

4. Ele ignora qualquer sugestão que seu filho possa estar lhe oferecendo

Seu filho pode ter uma boa razão para recusar um abraço com um amigo da família ou parente. Por isso, devemos respeitar seus desejos, sempre tentando abrir um caminho para uma conversa com ele, onde ele pode se sentir seguro em contar o que está acontecendo.

Leia também:

Dia do Abraço: saiba como o afeto pode diminuir as dores do seu filho

Dia do abraço: Huggies lança ação superespecial para relembrar a importância do afeto

Você sabia que a voz da mãe é tão confortante quanto um abraço?