Criança

Alunos pagam com plástico mensalidade de colégio e aumenta o número de crianças estudando na Índia

Em troca, eles incentivam a reciclagem

Yulia Serra

Yulia Serra ,filha de Suzimar e Leopoldo

A escola permitiu que muitas crianças deixassem o trabalho para estudar (Foto: reprodução/Askhar Foundation)

A questão ambiental tem ganhado cada vez mais visibilidade ao redor do mundo. Pensando nisso, um casal indiano decidiu fundar a Askar Foundation, uma escola que incentiva a reciclagem e permite que a população mais carente estude.

Para isso, crianças entre 4 e 15 anos precisam trazer toda semana, pelo menos, 25 itens plásticos que seriam descartados. Não há mensalidade. Os criadores Parmita Sarma e Mazin Mukhtar explicaram a Forbes que funciona como uma lição de casa obrigatória para que os pais possam colaborar na questão ambiental.

Os dois sempre sonharam em construir uma escola e a ideia da reciclagem veio de uma situação que passaram, onde todas as salas de aula estavam cobertas por gases tóxicos com a queima de plástico, uma prática comum para as pessoas se aquecerem durante o inverno. No início, não foi fácil convencer a população, mas aos poucos eles conseguiram.

Como muitas crianças trabalhavam em pedreiras para ganhar o equivalente a R$ 10,00 e ajudar suas famílias, a escola também teve o cuidado de convocar os alunos mais velhos para ensinar os mais novos e pagar um salário a eles.

Assim, os meninos puderam deixar o trabalho e seguir com os estudos. O currículo foca na questão da reciclagem, usando o material colhido para fazer tijolos ecológicos e construir novas salas na escola, mas também oferece aulas de inglês, matemática e ciência.

A escola que começou com 20 alunos, hoje, já soma 100 e a ideia é crescer ainda mais. Com o sucesso, eles pretendem criar outras 100 escolas nesse estilo nos próximos 5 anos. “O objetivo é treinar os estudantes a reconhecer como viver uma vida ecológica“, explica o vice presidente da instituição, Borthakur.

Leia também:

Virou lei! Todas as escolas terão que dar educação socioemocional para as crianças

MEC muda regra de idade mínima para matrícula na escola e gera polêmica

“Os alunos de hoje não têm paciência para escolas com modelos antigos”