Estudo em dia: 21 formas de ensinar seu filho para além das salas de aula

Aprender pode ser muito divertido e não fica limitado a escola. É fundamental despertar a curiosidade e interesse das crianças pela aprendizagem. Veja algumas dicas de especialistas para estimular seu filho ao longo do ano todo

Resumo da Notícia

  • É muito importante que as crianças tenham prazer pelo estudo
  • E os pais podem ajudar nesse processo, realizando algumas atividades em casa
  • Torne a aprendizagem leve e divertida e vá além dos limites das salas de aula

Quando eu contei para a minha filha de 6 anos que estava escrevendo sobre crianças que amam aprender, ela disse: “Bem, essa não sou eu!”. Em minha defesa, era a oitava semana de quarentena, e ela estava no Google Meet. Uma coisa é fato, as crianças são naturalmente curiosas. “Quando nós tentamos ‘ensinar’, as crianças se sentem repreendidas, mas quando as crianças descobrem por conta própria, realmente aprendem”, afirma Laura Markham, psicóloga clínica e autora de Peaceful Parent, Happy Kids (Pais Tranquilos, Crianças Felizes, em tradução livre).

-Publicidade-
Aproveite o que tem em casa e divirta-se (Foto: Getty Images)

É uma questão de encontrar formas criativas para estimular o que as crianças amam – e táticas fora da caixinha para manter esse interesse. Conforme o ano passa, você deve presenciar um cansaço em relação ao aprendizado à distância ou resistência às lições de casa. Independentemente do estágio em que está, fazer com que as crianças fiquem animadas em relação aos estudos é super viável, além de uma ótima ideia para envolvê-las nas aulas presenciais ou online. Saiba como garantir esse ânimo em cada uma das matérias:

Ciências

Teste uma reação química

Uma das melhores coisas sobre ciência é justamente fazer as coisas explodirem, certo? Um simples experimento como colocar uma bala de Mentos em uma garrafa de um a dois litros de alguma bebida gaseificada, como refrigerante, é sucesso. As bolhas de dióxido de carbono irão se formar na superfície da bala e, quando o gás for lançado, a bebida irá saltar da garrafa. (Dica: faça isso em uma área externa).

-Publicidade-

Observe os animais

Desacelere na natureza. É uma boa forma de ver esses bichos de forma mais próxima e pessoal. Acompanhe como eles vivem, andam e interagem com o meio ambiente.

Estimule o interesse pelo espaço

Use alguns fatos como o tamanho, cor e posição dos planetas para criar um modelo do Sistema Solar, sugere o astronauta Mike Massimino, autor de Spaceman: e True Story of a Young Boy’s Journey to Becoming an Astronaut (Homem do espaço: a verdadeira história da jornada de um jovem menino para se tornar astronauta, em tradução livre). As crianças podem usar argila para montar os planetas, sol e a lua. Espete um palito em cada um e prenda com barbante. Faça os irmãos interagirem fazendo uma espaçonave com os materiais que têm em casa, como o rolo de papel higiênico e papel alumínio.

Leitura

Assista ao filme e depois leia o livro

“Algumas crianças apenas gostam de saber mais sobre as histórias. A parte visual pode ajudar a construir os personagens e os cenários por eles”, conta Christina Droskoski, professora de leitura e mãe de três crianças. Matilda e James e o pêssego gigante são ótimas opções para assistir ao filme antes de ler o livro.

Não destrua as leituras da hora de dormir

A não ser que seu filho queira, evite ler livros exigidos pela escola na hora de dormir. Afinal, você quer garantir que ao mesmo tempo em que ele está aprendendo a ler, não está desaprendendo a amar os livros.

Leia por partes

A capacidade de atenção das crianças é, geralmente, a idade delas em minutos, então acione um timer que corresponda a isso. “É mais fácil para as crianças focar nas coisas desafiadoras quando sabem que não irá durar muito tempo”, pontua Jessica Jones, professora do jardim de infância. Faça um intervalo curto e comece de novo.

Matemática

Conte as moedas

Enfileire algumas latas, escrevendo uma quantia diferente no fundo de cada uma (como 50, 15, 25 centavos) e ofereça para seu filho uma jarra com moedas soltas. “Eles descobrem quanto vai em cada uma e colocam na lata correspondente”, sugere Meredith Shanley, mãe de dois meninos que amam esse jogo: “Você pode cronometrá-los, mudar as quantidades, e transformar em uma corrida para duas crianças”.

Aprender brincando é uma ótima forma de deixar estigmas para trás (Foto: Getty Images)

Acesse questionários online

Há vários aplicativos e sites para as crianças entrarem e competirem sobre conhecimentos gerais. Melissa Gonzalez, mãe de três crianças, estava sofrendo para fazer com que o filho do sexto ano fizesse as lições de matemática, até que ele começou a jogar contra os outros colegas e qualquer outra pessoa que o desafiasse.

Faça adaptações nos jogos clássicos

Você se lembra dos jogos de cartas? Tente essa variação: cada jogador abaixa duas cartas e soma elas (ou subtrai, multiplica) e, por fim, quem tiver o maior montante leva tudo. “Meus alunos amam esse jogo”, explica Erin Zackey, professora do primário. Você não precisa de muito para criar algo interessante, basta usar a criatividade.

História e Geografia

Crie uma cidade de LEGO

Faça com que eles usem a cabeça pensando o que tem em uma cidade e como as pessoas interagem dentro dela. Farrell Turner, uma mãe de quatro crianças, começou a adotar essa prática enquanto fazia o jantar. “Nós escrevemos diferentes serviços em um pedaço de papel e as crianças tiram um da cartola”, acrescenta. Cada um deles tem uma hora para realizar o que tiraram e no fim da semana eles têm uma pequena cidade para mostrar e discutir entre eles”.

Mostre a eles o mundo

Pergunte ao seu filho: “Onde você mora?”, depois abra o Google Maps e pesquise pela sua casa. “Esse mapeamento pode ser muito empolgante para as crianças, principalmente quando você navega por lugares conhecidos”, comenta a professora do primeiro ano, Juliann Beckmann. “Explore a área e, diminua o zoom para que possa ver o país, continente e depois todo o planeta, e eles podem começar a entender os conceitos dos livros um pouco melhor”, completa.

Deixe eles animados sobre as questões históricas

Há tantos personagens interessantes na história; se tornar um especialista em uma pessoa que fez algo que seu filho se interessa gera um bom retorno. Séries de livros e até séries de TV podem ajudar a apresentar as informações.

Redação

Transcreva as palavras

A parte física de escrever pode ser muito difícil para as crianças menores – e as coisas que são difíceis podem se tornar frustrantes. “Os músculos das mãos deles nem sempre estão prontos para segurar um lápis facilmente e com a quantidade certa de pressão”, alerta Anne Brower, que dirigiu uma pré-escola por 35 anos. “Mas você ainda quer que eles aprendam a expressar os sentimentos no papel”. Então deixe-os ditar as próprias ideias e escrever algumas ou todas elas.

Brinque de faz-de-conta

Deixe que criem um menu e um lugar para brincar de “restaurante”. “Aprender através das brincadeiras é uma parte importante no desenvolvimento das crianças e ajuda elas a reterem mais informação”, coloca Lauren Gallagher, psicóloga.

Capriche nos itens de papelaria

Quando as crianças têm materiais divertidos, se sentem muito mais animadas para escrever – e cartas são uma ótima forma de ensinar conexão e caligrafia. “Minha filha troca cartas com uma amiga que se mudou”, conta Stephanie Higgins, mãe de duas crianças.

O apoio dos pais é fundamental para as crianças (Foto: Getty Images)

Língua estrangeira

Assista à Peppa Pig em outro idioma

Se o seu filho pede por mais um episódio, aceite, mas mude a língua. “Eles sentem que estão só curtindo, mas também estão aprendendo”, opina Meghan Cevey, mãe de três crianças, cujo marido é argentino. “Uma vez que eles já conhecem os personagens e a premissa da história, é mais fácil de acompanhar”.

Crie desenhos – em outra língua

A professora de francês Kerri Simeone fez seus alunos desenharem quadrinhos e ao invés de colocar as caixas de texto em inglês, usaram francês, incorporando o vocabulário. Durante as aulas online, ela pediu que os alunos mais velhos criassem memes em francês e, depois, todos votaram nos mais engraçados.

Educação física

Tire a pressão de dentro de casa

Às vezes, as aulas de educação física podem fazer com que as crianças tenham autoconhecimento, principalmente quando estão aprendendo um novo esporte ou atividade. “Quebre isso em pequenas habilidades e faça com que trabalhem com elas até terem sucesso”, orienta Ethan Zohn, jogador de futebol profissional. Não deixe de usar o humor “A coisa mais valiosa que você pode ensinar às crianças sobre esportes é que elas podem perder, mas podem voltar no dia seguinte e ganhar”.

Comece com os esportes básicos e vá avançando

Ensine-os a serem fãs das regras para os jogadores, o placar e os uniformes. “Os esportes são 100% mais prazerosos se você sabe o que está assistindo e o mesmo vale para quando está jogando”, acrescenta Sarah Spain, repórter da ESPN.

Artes (em todas as suas esferas)

Faça parecer um show real

O ator Don Darryl Rivera coloca algumas luzes nas escadas para que o filho de 4 anos mostre seus passos. “Já que é melhor se apresentar para uma multidão, nós fazemos a nossa própria com bonecas, fotos de amigos cortadas ou fotos de revista, presas em palitos de sorvete”.

Explore a arte abstrata

Pegue as almofadas do sofá e avise que serão os pães do hambúrguer. Desafie as crianças a completarem com os ingredientes restantes. “Uma camiseta verde pode ser o alface, ou a calça vermelha o ketchup, uma laranja para o queijo, e não se esqueça da roupa íntima verde para o picles!”, brinca.

Valem para todas as matérias

Desperte a curiosidade e incentive os pontos fortes (Foto: Thinkstock)

Deixe seu filho te ensinar. Pode ser ainda melhor se você tiver alguma lousa em casa para que ele possa usar.

Aceite que algumas lições de casa não serão tão empolgantes quanto outras (mas mesmo assim precisam ser feitas).

Faça perguntas sobre o que eles estão aprendendo e se mostre interessado. Isso fará com que eles se sintam interessados e entusiasmados.

Crie uma rotina ou agenda para que seu filho saiba o que esperar.

Estimule uma relação positiva e colaborativa com os professores e deixe claro para o seu filho que vocês todos estão na mesma página.

Não perca tempo

As aulas têm um novo significado em 2021 e é bem diferente dos anos anteriores. Percebemos que juntos escolas, pais e professores chegam mais longe. Vanderlei Soela, Diretor do Colégio Marista Dom Silvério (BH), pai de Lucas e Laura, afirma: “A presença da família é fundamental para que o processo seja o mais saudável possível”. Por isso, conversamos com especialistas da área de educação para te ajudar a preparar seu filho para os estudos. Confira algumas dicas importantes:

  • Mantenha um diálogo aberto com as crianças, transmitindo segurança e confiança.
  • Incentive leituras, sem obrigação de cumprir horários ou ter nota.
  • Estimule jogos em duplas ou pequenos grupos.
  • Organize a rotina da criança, reajustando horários, pelo menos com uma semana de antecedência, já que essas alterações influenciam diretamente na disposição e consequentemente no estado de humor.
  • Faça um “quadro de tarefas” para os filhos com horários e obrigações que a criança deve ser responsável, como arrumar a mochila, tomar banho…
  • Deixe seu filho participar da compra do material escolar. Nesse momento, ele já começa a se animar para começar uma nova série.
  • Organize os materiais, mochila e uniformes. É sempre um ritual importante de preparação e para manter o engajamento.
  • Compartilhe com seu filho os desafios que você passou como estudante. Essa troca de experiências aproxima a relação.
  • Faça uma call com os colegas de escola. É interessante incentivar esse contato, que também dá um ânimo para seguir
  • Nas aulas presenciais, é fundamental que as crianças saibam os protocolos de segurança (como higienização das mãos e uso de máscaras) e se comprometam a segui-los.

Você é o exempo

Assim como sugeriram o que os pais podem fazer para incentivar e facilitar o amor pelos estudos, os educadores também alertaram o que é importante evitar. Confira a lista:

  • Não promova a ansiedade. Evite transparecer medo, insegurança e preocupação devido ao cenário de pandemia, para não transmitir esse sentimento às crianças.
  • Não julgue ou use expressões agressivas como “preguiçoso” e “relaxado”. Além de prejudicar o relacionamento entre pais e filhos, coloca a criança em foco de modo pejorativo e fortalece a baixa autoestima.
  • Não utilize as tarefas escolares e estudos como castigo, isso faz com que as crianças vejam essas questões como algo negativo.
  • Não critique a escola na frente dos filhos, pois a percepção dos adultos engloba outros elementos diferentes das crianças. Isso quebra o encantamento e relação aluno-escola.
  • Não chame a atenção para o erro da criança na frente de outras pessoas, desvalorizando-a. Ao invés disso, mostre o que ela pode aprender a partir daquele erro.

O engajamento da família no processo escolar é fundamental para preparar o “espírito” de volta às aulas e manter ele vivo durante todo o ano letivo. Roberta Bento, embaixadora da Pais&Filhos, e fundadora do site SOS Educação, junto da filha Taís Bento, finaliza com um recado para os pais: “Mãe, pai, encontre um tempo para reabastecer suas energias. Seu filho vai precisar de você bem, equilibrado e pronto para ajudá-lo a desenvolver as habilidades essenciais para seguir aprendendo, apesar de qualquer desafio que vier pela frente! Lembre-se de que você deu conta sim. E vai dar tudo certo neste ano!”.

-Publicidade-