Criança

Estudo explica porque ler uma história antes de dormir é importante para o seu filho

A pesquisa deixou claro porque as famílias perderam esse costume

Isabella Zacharias

Isabella Zacharias ,Filha de Aldenisa e Carlos

Você costuma ler para o seu filho? (Foto: Shutterstock)

Aquela antiga tradição dos pais lerem histórias de ninar para os filhos está acabando. Um novo estudo confirmou que apenas 2 em cada 10 pais leem para os filhos antes de dormir. A pesquisa, feita pelo grupo de hotéis Novotel, questionou mais de mil pais com filhos de 6 meses a 10 anos, perguntando com que frequência eles leem histórias.

Mais de um quarto dos pais afirmou que os filhos não tem interesse em leitura, porém 94% deles disseram que acreditam que uma história para dormir é importante para ajudar a estimular a criatividade e a capacidade de leitura das crianças. O estudo também mostrou que um quarto desses pais oferece um celular ou um tablet para o filho jogar ou assistir desenhos animados antes de dormir e que 6 em cada 10 pais deixam que os filhos assistam TV para pegar no sono.

Porém, o estudo também indicou que mais de 2 terços dos pais e das mães admitem que se sentem culpados por não lerem uma história para os filhos. De acordo com a pesquisa, os pais que confessaram que leem para seus filhos fazem isso por volta de 15 minutos, cerca de 3 vezes por semana. Outros pais disseram que os filhos preferem contos de fadas e de aventura.

Em entrevista ao The Sun, James Wheatcroft, um dos organizadores da pesquisa, afirmou que os pais tentam procurar tempo para as histórias de ninar, mas que as crianças também precisam entender a importância dessas histórias. “Entendemos as pressões que a vida moderna está exercendo sobre as famílias“, ele diz. “Mas seja sobre dragões ou princesas, ou relembrando um dia que passaram juntos, as histórias reúnem famílias e isso é importante”.

Leia também:

Estudo afirma que dar à luz deixa as mulheres mais inteligentes

Estudo mostra que mães ansiosas dão à luz a meninas

Estudo comprova que estresse na gravidez prejudica cérebro do bebê