Estudo mostra exatamente quais são os efeitos do Zika Vírus nas crianças

A pesquisa foi feita com 216 crianças

(Foto: Reprodução / GettyImages)

Um estudo feito pela Universidade da Califórnia nos Estados Unidos avaliou 216 bebês que foram afetados pelo Zika Vírus durante o surto que aconteceu no Brasil entre 2015 e 2016 e o resultado surpreendeu! A pesquisa avaliou como as crianças estão após cerca de dois anos depois do surto.

-Publicidade-

As crianças nasceram em dezembro de 2016 e vieram sido acompanhadas desde então. Os especialistas descobriram que metade dos bebês que nasceram com efeitos do Zika, como problemas no cérebro, microcefalia, tônus muscular mais fraco, entre outros, agora, em média dois, três anos de idade, estão com desenvolvimento normal!

Um dos casos de microcefalia, a criança que tinha a cabeça menor que o normal, cresceu e ficou do tamanho esperado para os dois anos. Porém, a pesquisa observou que cerca de 25% das crianças que não contraíram o Zika Vírus da mãe, apresentam algum tipo de problema com o decorrer dos anos.

-Publicidade-

As complicações podem ser na audição e/ou visão, além de terem problemas como atraso no desenvolvimento neurológico e autismo.

Proteção para você e seu bebê contra o zika vírus

Com o surto do vírus Zika e os inúmeros casos de microcefalia, as grávidas começaram a ter um cuidado redobrado com os mosquitos. Pensando nisso um novo repelente manipulado da Pharmapele criou uma combinação que protege as gestantes e os bebês. “O uso de repelentes que ofereçam tempo maior de proteção, como os formulados com IR 3535 em alta concentração, é uma importante forma de evitar doenças causadas pelo Aedes Aegypti. O ativo é seguro e pode ser usado por gestantes, bebês a partir de seis meses, crianças e idosos”, explica Luisa Saldanha, diretora técnica da Pharmapele.

É preciso ficar de olho em produtos que são formulados com DEET e Icaridina, porque eles têm um teor tóxico elevado e não podem ser utilizados em crianças menores de 2 anos. O Gel repelente da Pharmapele é completamente seguro e os bebês podem começar a usar a partir dos seis meses. Além de ter eficácia comprovada contra diversos mosquitos, entre eles o Aedes Aegypti, o produto também hidrata e possui durabilidade é de 7 horas.

Leia também:

Mãe faz ensaio newborn do filho com microcefalia e é impossível não se emocionar com o resultado

Proteção para você e seu bebê contra o zika vírus

Obama pede urgência na vacina contra o vírus zika

 

-Publicidade-