Estudo mostra que colesterol alto nas crianças é tão perigoso quanto na idade adulta

Fator hereditário pode contribuir para o desenvolvimento da doença

(Foto: iStock)

Há algumas décadas, o risco do colesterol alto tem aumentado, inclusive em crianças e pré-adolescentes. Melhorar os hábitos diários e tentar ter uma alimentação saudável são um ótimo início tendo resultados a longo prazo, e cuidar do corpo e da saúde não tem idade certa, mas quanto antes melhor.

-Publicidade-

“A combinação de alimentos ultra processados, fáceis de comer e baratos, além do sedentarismo, como o ‘tempo de tela’, elevam o colesterol e os triglicérides e a propensão a ter diabetes tipo 2”, explicou a endocrinologista Cynthia Valerio.

A endocrinologista é presidente do departamento de dislipidemia e aterosclerose da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (Sbem) e neste ano 2019, a mulher está fazendo a campanha de combater ao colesterol deste ano, que tem foto nas crianças.

-Publicidade-

Segundo a Sbem, o colesterol alto é tão perigoso na infância quanto na idade adulta. Crianças de 2 a 8 anos obesas, com histórico de doença cardíaca, diabetes ou colesterol alto na família, devem ter sempre um controle da doença.

Ainda de acordo com recomendação do Sbem, toda criança entre 9 a 12 anos de idade deve ter o colesterol avaliado uma vez. Alimentação rica em gorduras, excesso de peso e sedentarismo causam colesterol alto em qualquer idade, além do fator hereditário.

Leia também:

Juliana Paes fala sobre regras na alimentação dos filhos: “Não deixo mesmo”

Boa alimentação no pós-parto também é essencial

10 passos para uma alimentação saudável na gravidez