Estudo mostra que crianças que começam estudar mais tarde vão melhor nas aulas e o motivo é polêmico

A pesquisa levou em conta a realidade financeira das famílias

Um estudo inédito na Austrália revelou que a idade com a qual a criança é mandada para a escola é fundamental em seu desenvolvimento acadêmico.

-Publicidade-

O estudo considerou dados de 100 mil crianças e os pesquisadores da University of New South Wales analisaram que os meses de idade a mais com que as crianças mais velhas entram na escola impactam diretamente no melhor resultado acadêmico.

Crianças mais velhas se saem melhor na escola (iStock)

Os pesquisadores também notaram que 25% das crianças estão entrando no Jardim de Infância com idades superiores à mínima estabelecida e estes acabam se destacando e tendo performances melhores que os colegas de classe mais novos.

Em comparação com dados do Censo Australiano de Desenvolvimento Prematuro, o estudo conseguiu analisar que cada mês de diferença na introdução da criança na escola conta para seu desenvolvimento superior às médias nacionais.

A escola como única opção

No entanto, os estudiosos levaram em consideração que grande parte dos pais decidem mandar os filhos para a escola o mais cedo possível porque não têm condições financeiras de manter o a criança na cheche ou com babás.

Assim, a taxa de melhores performances são mais comuns em filhos de casais com melhores condições financeiras, que podem permitir que o filho entre na escola mais tarde.