Criança

Estudo mostra que crianças que sofrem bullying têm mais chances de engordar

Os pesquisadores acompanharam 110 crianças na faixa dos 12 anos

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Os pesquisadores acompanharam 110 crianças na faixa dos 12 anos (Foto: Getty Images)

Não é segredo para ninguém que crianças acima do peso podem se tornar alvos de bullying na escola. E desde a década de 1970, a taxa de obesidade infantil triplicou, mostrando que a questão parece estar longe de um ponto final.

Nesse sentido, foram feitas pesquisas para mostrar o quanto a perseguição e as brincadeiras de mau gosto podem resultar no aumento de peso das crianças. Publicado na revista Pediatric Obesity, o estudo mostra que crianças que são sofrem bullying por estarem acima do peso acabam engordando ainda mais.

Os pesquisadores acompanharam 110 crianças na faixa dos 12 anos. Elas eram acima do peso, obesas ou com alto risco de obesidade por terem pais obesos. Já no primeiro encontro, 62% das crianças disseram que enfrentam brincadeiras relacionadas à aparência e ao tamanho do corpo.

Por 15 anos, os pesquisadores coletaram informações, anualmente, sobre a altura, o peso e a massa corporal dos jovens participantes. “Nós avaliamos como o bullying relatado no nosso primeiro encontro com as crianças poderia interferir no ganho de peso ao longo do tempo”, conta Natasha Schvey, autora da pesquisa e assistente médica e clínica de psicologia.

Os resultados? As crianças que disseram sofrer bullying devido ao peso ganharam 33% de massa corporal e 91% de gordura por ano em comparação às crianças que não sofriam bullying. E é algo proporcional: quanto mais sofriam com as brincadeiras, mais peso ganharam.

As crianças que sofrem bullying tendem a comer mais como forma de lidar com esse sofrimento (Foto: Getty Images)

Por que isso acontece?

O estudo que contamos acima foi baseado em observações e não detalhou os porquês do resultado. Mas pesquisas anteriores já associaram a vergonha do corpo a comportamentos negativos, incluindo o ganho de peso.

As crianças que sofrem de bullying tendem a comer mais como forma de lidar com esse sofrimento. Geralmente, também param de fazer atividades físicas. “Elas não se sentem confortáveis em mexer o corpo na frente de outras pessoas ou de usar roupas de ginástica ou, de alguma forma, mostrar que precisariam praticar exercícios”, afirma Ariella Silver, diretora do programa de treinamento de psicologia no Centro de Saúde Adolescente Monte Sinai em Nova York.

Estudos também relacionaram o estresse ao ganho de peso. Quando estamos estressados, o cortisol é liberado. Esse hormônio aumenta o nosso apetite e, consequentemente, faz com que a ingestão de comidas gordurosas e doces aumente também.

“Seguindo essa ideia, é possível que crianças que sofreram bullying devido ao peso tenham maiores concentrações de cortisol no corpo, um resultado do estresse crônico”, explica Natasha.

Como os pais podem ajudar?

O primeiro passo é manter o diálogo. Pergunte se o seu filho está sendo exposto a qualquer brincadeira em relação ao peso dele. Depois, tente introduzir formas positivas para lidar com esses sentimentos negativos.

É importante usar uma linguagem sensível. Explicamos: tente evitar falar sobre ganho de peso e sobre o tamanho das roupas. Em vez disso, fale sobre hábitos saudáveis, como comidas que fazem bem à saúde e formas de melhorar as atividades físicas.

E claro, esses novos hábitos não valem apenas para a criança! Tente aplicar como uma nova rotina para todos os moradores da casa. Sugeriu uma caminhada depois da escola? Então por que não encorajar todo mundo para ir junto? O mesmo vale para a alimentação. As regras devem valer para todos.

Leia também:

Relato de mãe: “Minha filha sofre tanto bullying que está fazendo xixi na calça”

Conheça 4 tipos de bullying e saiba como lidar em cada caso

4 sinais de que seu filho está sofrendo bullying e como reagir