Evento online discute importância de hábitos saudáveis na infância

A Nestlé promoveu um encontro com vários convidados de diferentes áreas para falar da necessidade de cuidar das crianças desde cedo

Resumo da Notícia

  • O evento online reuniu vários especialistas para discutir o assunto
  • Com interação do público em tempo real, a troca aconteceu
  • Eles reforçaram a necessidade de ter atenção aos hábitos da família desde cedo

Na noite desta quinta-feira (10), a Nestlé promoveu um evento para debater com convidados de diferentes formações (nutricionistas, pediatras, influenciadores, entre outros) como ajudar a promover hábitos mais saudáveis para as crianças no dia a dia. A alimentação é um assunto que merece atenção e cuidado desde os primeiros dias de vida. E isso foi destacado desde os primeiros minutos.

-Publicidade-
Criança segue exemplo, por isso todos precisam colaborar (Foto: Shutterstock)

Para começar, foram apresentados alguns dados sobre o tema. Uma em cada três crianças está acima do peso e nove em cada dez crianças têm algum tipo de inadequação no consumo de vitaminas e minerais. Os especialistas presentes destacaram que esses hábitos tiveram uma piora com a pandemia do novo coronavírus.

Rede de apoio

Beto Lima, do @eupapai, digital influencer comentou sobre esse momento: “Nem parece vida real. De fato é muito difícil se encontrar ao longo do tempo. É o momento de ter escuta ativa, precisamos de diálogo e suporte para sair dessa”. Ele continuou dizendo que as decepções fazem parte do processo, já que precisamos criar sob pressão, mas entende que esse sentimento nos permite reinventar. Para o influenciador, é necessário se preocupar um pouco menos com as regras para construir junto dos filhos um relacionamento saudável.

-Publicidade-

A Dra. Elaine de Pádua, colunista da Pais&Filhos e nutricionista seguiu discorrendo sobre a dificuldade de colocar a teoria em prática: “A rotina das famílias mudou. Mas se a gente tem um problema, temos a chance de transformar em algo positivo. Muitos pais não tinham tempo de fazer refeições em família e agora pode ser uma nova oportunidade de fazer refeições em família e engajar todos nesse processo”. A solução segundo ela é voltar para o simples e tornar a experiência de comer gentil e lúdica. “Não tem que haver proibições. Vai comer fruta, mas de uma forma gostosa. Deixa a criança brincar com a fruta, elaborar receitas”, pontuou.

O evento contou com interação do público, através de comentários pelo chat e até enquetes (com resultado em tempo real) e outras inserções com direito a um passeio de carro virtual no exterior. Tudo para provar que juntos vamos mais longe. O representante da ONG Social Skate, em Poá, por exemplo, esteve presente para dar seu relato. “A transformação se faz com bons exemplos”, defendeu. Durante a call também foi possível fazer doações para ajudar quem precisa.

Online – offline

Na conversa “Brincar ativamente: onde ele foi parar e quais os impactos dessa falta?”, Roberta Ferec iniciou: “As telas não são nem vilãs nem mocinhas. É o que a gente faz delas que as torna uma coisa ou outra”. Para ela o desafio está na tecnologia ser uma novidade e não ter um manual, para isso destaca a necessidade de diálogo.

Ela é super importante equilibrar tudo (Foto: Getty Images)

O papo continuou reforçando a importância da brincadeira para que a criança de fato tenha uma “experiência humana”. É nesse momento que ela se sente agente, portanto privá-la da brincadeira é privá-la de muito mais que isso. Patrícia Marinho, CEO do Tempo Junto, explicou que a etimologia da palavra brincar vem do vínculo. Para ela é fundamental ter tempo para isso, e mudar a visão do brincar, não só sentar pra fazer isso, mas incluir em ações do dia a dia, como as próprias refeições.

Brincar faz parte da natureza da criança e um dos jeitos delas se expressarem é através do desenho. A artista Juna falou sobre o seu trabalho que busca eternizar esses registros transformando em quadros. Após perceber que os desenhos da filha ficavam só guardados na gaveta, ela teve um insight e a ideia deu tão certo que hoje faz para outras famílias. Ela falou sobre os ensinamentos que as crianças trazem para os adultos, como o fato de valorizarem o processo muito mais que o resultado.

Também foi discutido o papel da escola na promoção desses hábitos saudáveis, entendendo os educadores como uma extensão dos pais que devem trabalhar em conjunto. As especialistas reforçaram a necessidade de cuidar tanto da saúde física quanto mental e de estreitar o vínculo entre educadores, pais e alunos, concluindo que é necessário estarmos juntos para fazer mudanças reais.

Para finalizar o evento, houve o reconhecimento das escolas vencedoras do Prêmio Nestlé por crianças mais saudáveis, que já entregou mais de 30 mil prêmios e quase 15 mil crianças foram auxiliadas. Para confraternização, as palestras terminaram ao som de música boa e energia lá em cima.