Criança

Família é salva por um balde em momento de desespero e motivo surpreende

Eles ficaram esperando 6 horas por ajuda

Cinthia Jardim

Cinthia Jardim ,filha de Luzinete e Marco

Maike e o filho Julian (Foto: reprodução / That’s Life)

Maike Hohmen, de 40 anos, ensinou o filho, Julian, a pescar desde muito cedo e em junho deste ano, eles pegaram o barco, Gilly’s Hammer e embarcaram mar a dentro. O menino estava muito animado com o passeio, e até chegou a perguntar: “Pai, o que você acha que vamos pegar primeiro?”.

Antes de iniciarem a viagem, Maike avisou a guarda costeira que embarcariam e também disse para onde a família iria. Quando estavam no recife de Caloundra Nine Mile, Julian batia palmas todas as vezes que conseguia pescar um peixe. Por volta das 19h30, ele ficou cansado e foi dormir. Stephan, parceiro de Maike, que também estava no barco aproveitou para dormir e logo em seguida, foi a vez do homem se deitar ao lado do filho.

“Por que meus pés estão molhados?”, foi o primeiro questionamento de Maike ao acordar. Quando o homem se levantou, ele chamou freneticamente por Stephan e ligou uma bomba do barco para tentar drenar a água que estava entrando. Era possível ver as ondas quebrando dentro veículo, e imediatamente, ele pegou o rádio para comunicar a guarda costeira: ” Estamos enchendo de água. Receio que iremos afundar!”.

Maike pegou Julian, que ainda estava dormindo, e de repende eles começaram a respirar água do mar. “O barco virou e Julian e eu ficamos presos embaixo do dossel”, contou ao site That’s Life. Eles começaram a afundar, mas conseguiram voltar para a superfície. Maike não soltou o filho em momento algum. O homem conseguiu pegar o celular, que estava segurando com a outra mão, e se surpreendeu quando o objeto ainda estava funcionando. “Eram 1h47. Nossos coletes salva-vidas afundaram junto com o barco”.

Julian ficou morto por três minutos (Foto: reprodução / That’s Life)

Quando ele olhou para o lado, viu dois baldes de plástico boiando, de 15 litros cada um, que havia pego na estrada antes de embarcarem. “Felizmente, Stephan estava lá também”, desabafou. Maike colocou o balde entre o corpo de Julian e o dele, e seguraram firmemente. O garoto, para tranquilizar o pai falou: “Vai ficar tudo bem”. “Stephan pegou o telefone e ligou para a emergência. Por sorte, a ligação foi cumprida”. Foram 6 horas longas esperando por ajuda, e Julian começou a falar cada vez menos e ficar com dificuldades em respirar, por causa da água gelada. “Os tubarões definitivamente nadavam debaixo de nós, mas naquele momento, eles não me preocupavam”.

Quando amanheceu, eles conseguiram ouvir um helicóptero se aproximando e um socorrista lançou uma corda para o resgate. “Stephan e eu fomos levados por um barco da polícia. A parte mais terrível foi saber que o coração de Julian havia parado durante o transporte. Ele ficou morto por três minutos”, relatou. O casal estava com hipotermia, e os médicos avisaram que a chance dos três saírem vivos do hospital era menor do que 5% e que se Julian acordasse, teria danos cerebrais graves.

Depois de 4 noites internado, a surpresa veio: Julian conseguiu escapar sem nenhum arranhão e foi para casa. Três meses depois, Maike e o garoto deram uma entrevista no Sunday Night, do Channel 7. O pai contou que o garoto estava bem triste por eles terem perdido o barco, mas feliz por tudo ter acabado bem. “Sou muito grato por termos uma segunda chance“, concluiu.

Leia também:

Sempre alerta: bebê de dois anos morre afogado ao cair em máquina de lavar

Criança asfixia a mãe por acidente em vidro de carro na Ucrânia

Pai não sobrevive após acidente enquanto andava de patinete e caso serve de alerta

Fique por dentro do conteúdo do YouTube da Pais&Filhos: