Hora da soneca: 10 soluções para os problemas mais comuns entre as famílias

O momento do sono pode ser complicado. Afinal, não é nada fácil manter uma rotina e se certificar que o bebê a siga. Essas dicas poderão te ajudar!

Resumo da Notícia

  • Muitos pais lutam para conseguir implementar uma rotina de sono eficaz com os bebês
  • Veja os problemas mais comuns na hora de colocar as crianças para dormir
  • Descubra coo enfrentá-los

Você deve fazer parte do time de pais que lutam para conseguir implementar uma rotina de sono eficaz com os bebês. Por isso, para te ajudar a criar esse hábito, veja quais são os problemas mais comuns na hora de colocar as crianças para dormir e descubra como enfrentá-los:

-Publicidade-
Veja como garantir que seu filho tenha uma soneca saudável (Foto: repordução Pinterest / Parents)

O sono é imprevisível

Você nunca vai saber quando seu filho decidir cochilar. Ter uma rotina de sono é muito difícil, principalmente nos primeiros meses de vida.

A solução: defina um cronograma. Entre 3 e 4 meses de vida, o sono deve se resumir em dois ou três cochilos mais longos. Essa rotina irá te ajudar a se organizar e tornar seu dia mais previsível, além de ajudar o bebê a saber o que esperar. Suzy Giordano, autora de “12 horas de sono para 12 semanas de idade” sugere uma soneca da manhã cerca de duas horas depois de acordar e uma soneca da tarde de duas ou três horas após o término da primeira soneca. Vale ressaltar que, até cerca de 9 meses, a maioria dos bebês dormem 30 minutos no final do dia.

-Publicidade-

Depois de colocar a rotina geral em prática, você poderá organizar sua vida e construir sua agenda de compromissos da forma que preferir! Embora as coisas nem sempre funcionem como um relógio – às vezes seu bebê acorda cedo ou não adormece – a programação pode salvar sua vida.

O choro que impede o sono

Ele se torna inconsolável (Foto: Reprodução Pinterest / Parents)

Você queria que seu bebê tirasse uma soneca longa e esperou até que ele parecesse exausto. O resultado, porém, não foi como você planejava e agora ele não para de gritar e chorar. E agora?

A solução: se seu filho chora muito, de maneira inconsolável, provavelmente é porque ele cruzou a linha tênue entre cansado e muito cansado. Isso faz com que o corpo dele produza o hormônio do estresse, chamado cortisol, que dificulta o adormecimento (e a permanência do sono). Para que você não perca o momento perfeito para colocar seu filho para dormir, observe sinais sutis de sonolência, como esfregar os olhos, olhar para longe, entre outros. Assim que ver esses sinais, largue tudo e prepare-se para colocá-lo para dormir!

O que fazer se perder esse ‘momento ideal’? Você pode tentar segurá-lo firmemente e balança-lo em um quarto escuro ou levá-lo para um passeio de carrinho. Se ele resistir e não dormir, espere até a próxima soneca e tente fazer com que ele durma por mais tempo para compensar, aconselha Marc Weissbluth, M.D., autor de “Healthy Sleep Habits, Happy Child”.

Seu filho simplesmente não dorme

Se o seu bebê não dorme ou leva uma eternidade para dormir.

A solução: estabeleça uma rotina de pré-sono. “Alguns bebês são tipo anjo, e dormem logo depois de beijá-los e colocá-los no berço – e também existem todos os outros bebês”, brinca Kim West, treinador e co-autor de Good Night Sleep Tight. Para facilitar a transição na hora da soneca, pratique uma mini versão do seu ritual de dormir: feche as cortinas, apague as luzes, leia uma história ou cante uma canção de ninar. “Isso ajuda a acalmar seu bebê e faz com que seu cérebro desacelere e se prepare para dormir”, diz West.

Além disso, o sono do seu bebê precisa mudar à medida que envelhece. Portanto, se for um problema de longa data, talvez ele simplesmente não esteja cansado. Experimente atrasar a soneca por 30 minutos até que o sono chegue mais rapidamente. Ao completar um ano, se filho pode estar pronto para mudar a rotina e passar a ter apenas uma soneca por dia.

Os cochilos não são longos o suficiente

Os cochilos não são longos (Foto: Getty Images)

Seu filho cochila apenas intervalos de 15 minutos.

A solução: para alcançar um sono mais longo e profundo, os bebês precisam tirar uma soneca por pelo menos 45 minutos – mas isso acontece apenas se adormecerem sozinhos após os leves despertares que ocorrem naturalmente durante os turnos do ciclo do sono. “Nathan achava que só havia uma maneira de dormir, que era no meu colo, chacoalhando ele”, diz Leah Leuteritz, de Irvine, Califórnia. “Para mim, estava tudo bem. Não sabia, porém, que estava criando uma associação de sono para ele que era mais prejudicial do que útil no final das contas”.

Para quebrar o vício de Nathan, Leuteritz fez uma mudança na hora de dormir – uma solução mais fácil, porque os bebês já estão cansados ​​e sinais como a escuridão indicam que é hora de dormir. Ela o colocou no berço quando estava sonolento, mas ainda acordado, e repetiu a prática por algumas noites. Quando Nathan pegou o jeito de adormecer sozinho, ele começou a tirar cochilos mais longos durante o dia.

Seu filho não dorme em casa

Seu bebê tira ótimos cochilos na creche, mas os fins de semana em casa são uma bagunça.

A solução: “Às vezes, se os bebês não veem muito o pai e a mãe durante a semana, são menos propensos a cochilar bem no fim de semana. Eles não querem perder tempo juntos”, diz Weissblut. Converse com o professor da creche para garantir que a rotina de sonecas de fim de semana do seu filho ecoe o que funciona durante a semana. Certifique-se de que seu bebê tire cochilos no fim de semana em casa na mesma hora que os faz na creche. Enquanto o seu filho estiver cochilando bem durante a semana, alguns dias fora do expediente não devem interferir em seus bons hábitos de sono.

Seu filho não quer dormir

Seu filho de 8 meses acabou de aprender a se levantar sozinho, apoiando no berço – e agora prefere fazer isso por horas em vez de dormir.

A solução: dê tempo suficiente ao seu bebê para praticar as novas habilidades. Os bebês ficam tão elétricos quando aprendem algo novo que dificilmente querem parar de fazê-lo. É importante, porém, saber o momento de ensiná-lo a parar e dormir.

Seu filho está sofrendo com o pós-cólicas

A cólica dele já passou, mas cochilos vêm e voltam.

A solução: experimente o que funciona. “Você precisa pensar criativamente para ajudar a criança a dormir bem depois da cólica“, diz o Dr. Weissbluth. Isso ocorre porque os bebês com cólica levam mais tempo para desenvolver uma rotina de soneca, e geralmente seus cochilos são mais curtos. Além disso, depois de meses sendo colocados no colo, acalmados e balançados, eles não têm a capacidade de fazê-lo sozinhos.

Jenny Livingston, de Kansas City, Missouri, estava doida com seu filho de quatro meses, Davis, que acordava depois de meia hora, ficava agitado e chorava por duas horas. (Ela tentava acalmá-lo de volta amamentando ou colocando-o no balanço, mas nada funcionava.) Duas horas depois, ela o colocava para sua próxima soneca, meia hora depois, no entanto, ele acordava e a rotina se repetia.  Finalmente, ela começou a colocá-lo de volta para a segunda soneca apenas uma hora depois que ele acordou da primeira. Para ela, foi puro alívio. “Os dois cochilos aumentaram para uma hora e meia, às vezes duas horas”, diz ela.

Seu filho só dorme no carro

Uma soneca de 20 minutos no carro e seu bebê está convencido de que o sono acabou.

A solução: um pequeno gostinho de sono pode ser suficiente para dar ao seu bebê uma segunda chance – e dificultar que ele se acomode no sono real. Para evitar o problema, reorganize sua agenda para que você não precise sair de carro com o bebê quando estiver perto do horário que ele costuma dormir. Se isso não for possível, faça o que puder para manter um bebê sonolento, acordado.

“Eu escuto música alegre, canto com eles, grito seus nomes no carro”, diz Angela Killinger, mãe de três filhos em Chantilly, Virgínia. “E digo à minha filha mais velha: ‘Aperte a mão de sua irmã e mantenha-a acordada'”. Se tudo falhar e seu bebê cochilar, você pode tentar arrastar o assento do carro sem acordá-los. Ou esqueça os preços da gasolina e experimente a técnica de percorrer o bairro para que eles durmam 30 minutos a mais.

A hora do sono não bate com sua programação

Você sabe que deveria manter um horário de soneca, mas está começando a sentir que está em prisão domiciliar.

A solução: planejar alguns cochilos em determinadas horas a cada semana pode realmente ajudar seu bebê a se adaptar.  “Depois de instilar esse hábito, você pode mudar as regras de tempos em tempos”, diz Giordano.

As necessidades do seu filho estão mudando

Seu bebê pode estar pronto para fazer a transição de dois cochilos para um. Como você sabe?

A solução: a maioria das crianças desiste do cochilo matinal por volta dos 18 meses, algumas adiantam para os 12 meses e outras vão até 20 a 21 meses, segundo Jodi Mindell, PhD. Geralmente isso não acontece da noite para o dia – normalmente há um período em que eles alternam entre um e dois dias de soneca. As crianças geralmente desistem de tirar uma soneca entre as idades de 3 e 4 anos.

O 9º Seminário Internacional Pais&Filhos – A Tal da Felicidade está aí! Ele vai acontecer no dia 19 de agosto, completamente online e grátis. Serão oito horas de transmissão ao vivo e você pode acompanhar tudo neste link aqui. Esperamos por você!

-Publicidade-