Criança

Hora de dormir: 3 conselhos de um pediatra para melhorar o sono do seu filho

Dr. Claudio Len explica que as ondas cerebrais de sono são mais curtas nos bebês

Isabella Zacharias

Isabella Zacharias ,Filha de Aldenisa e Carlos

(Foto: Getty Images)

Dr. Claudio Len, pai de Fernando, Beatriz e Silvia, pediatra e nosso megaconsultor, formado pela Faculdade de Medicina da Santa Casa de São Paulo. Esse mês ele veio tirar todas as dúvidas sobre o sono dos bebês.

A queixa de noite mal dormida é uma das mais comuns no consultório do Dr. Claudio Len. “Gosto muito de orientar os pais sobre o sono dos bebês, pois as informações sobre a biologia desse processo ajudam consideravelmente famílias que passam por essa fase complicada”.

Nesse momento de “desespero”, ele explica que até os 3 meses de vida os bebês funcionam de uma maneira e depois mudam. Primeiro, tenha certeza de que seu filho não está com fome. Afinal, ninguém dorme bem de estômago vazio.

Em segundo lugar, as ondas cerebrais de sono são mais curtas nos bebês, e eles alternam mais os períodos de sono e vigília do que as crianças mais velhas. Ou seja, a fisiologia do sono dele deve ser respeitada antes de qualquer orientação.

Além disso, vale a pena citar que o desenvolvimento cognitivo dos bebês está relacionado com a troca de estímulos com os pais. Eles aprendem através da troca constante. Portanto, deixar o bebê chorando por horas seguidas não é uma boa opção. Entre outras orientações, costumo recomendar que deixem os filhos no berço por 10 minutos no máximo antes de pegá-los no colo ao longo da madrugada, para que o hábito de sono seja estabelecido de maneira fisiológica.

Acredito que pais bem orientados por profissionais sobre as características do sono conseguem seguir com maior tranquilidade dicas positivas capazes de aumentar os períodos de sono ao longo do tempo. Estas orientações são baseadas em hábitos saudáveis, que comentarei na conversa com os leitores.

Minhas filhas gêmeas de 8 meses não dormem nem de dia nem de noite. O que eu faço? – Graziela Prezzi, mãe de Helena e Maria Luíza.
Depois de passar pelo seu pediatra e levar em consideração as dicas acima, recomendo hábitos bem regulares, tendo em mente que nesta idade os bebês dormem entre 11 e 13 horas. Aconselho basear-se em 4 “mandamentos” simples: 1. não deixe que cochilem depois das 16h e evite que durmam até a hora certa; 2. mantenha a casa tranquila a partir das 18h; 3. estipule horário de dormir (entre 20 e 21 horas) e evite ninar neste momento; 4. evite interagir durante a noite e levá-las ao seu quarto.

Minha bebê tem 9 meses e dorme das 23h às 2h. O que posso fazer para ela dormir a noite toda, já que ela pega no sono tarde? – Juliana Xavier, mãe de Antonella.
Também recomendo uma mudança de hábito. O ideal é que ela vá dormir entre 20h e 21h, no máximo. Você até pode dar de mamar por volta da meia-noite, mas sem interagir. Caso ela acorde antes das 6h, aconselho deixá-la no berço de 5 a 10 minutos sem ir até lá. Caso o choro persista, entre no quarto e pegue ela no colo, mas sem se comunicar muito (nunca dê de mamar nessa hora). Depois de 4 minutos coloque-a novamente no berço e faça essa “operação” repetitivamente. Costuma dar certo em poucos dias.

Meu bebê recém-nascido chora demais para dormir e é muito agitado durante a noite. Estou tentando criar uma rotina de sono, mas está difícil. Você tem alguma dica? – Mariana Silva, mãe de Enzo.
É preciso ter muita paciência nessa hora, pois muitos bebês só conseguem dormir durante 6 horas seguidas ou mais depois dos 4 meses. É fundamental que o seu filho esteja mamando bem e ganhando peso adequadamente. Dito isso, recomendo que você tente os 4 “mandamentos” que expliquei anteriormente. Ressalto que algumas mudanças na rotina, como viagens ou a volta da mãe ao trabalho, podem desregular o sono. Nesse caso, pode levar até 3 semanas para voltar à rotina.

Leia também:

Tire suas dúvidas sobre pneumonia com o Dr. Cláudio Len

Dr. Claudio responde: dúvidas sobre vacinas

Dr. Claudio responde: Sangramento nasal é comum?