Imunidade em dia: como fortalecer a saúde do seu filho para a volta às aulas

É essencial manter uma rotina saudável para as crianças em todos os momentos, seja nas férias, em tempos de pandemia ou no período letivo. Veja os cuidados para fortalecer o sistema imunológico e garantir uma dieta rica em nutrientes e vitaminas para o seu filho

Mudança de rotina, contato com outras crianças, saídas de casa após um grande tempo em isolamento social. Esses são alguns dos principais fatores que geram preocupação na cabeça dos pais neste momento em que estamos falando da possibilidade da volta às aulas presenciais nas escolas Brasil afora.

-Publicidade-
(Foto: Getty Images)

Não tem jeito: o período de retorno escolar gera sempre um misto de sentimentos nas famílias. Para algumas, surge aquele alívio de não ter as crianças correndo pela casa ou de precisar se virar para ficar com elas enquanto trabalha. Mas também é um momento de ansiedade e dúvidas para os pais, principalmente agora, em tempos de pandemia. Essa fase de reencontro e da volta do contato social com outras crianças — mesmo com as medidas de higiene e distanciamento sendo respeitadas — pede muito cuidado e atenção para evitar as doenças infantis típicas dos ambientes escolares, que vão muito além da covid-19.

Entre as mais comuns, estão as doenças que atacam o sistema respiratório, como gripes, rinites e alergias, e as do trato gastrointestinal, como as diarreias. Claro que não existe solução milagrosa e algumas doenças serão inevitáveis, já que o sistema imunológico das crianças se completa apenas no final da primeira infância. Mas se você tomar os devidos cuidados para reforçar a imunidade com alguns hábitos saudáveis, é possível diminuir os riscos e preservar a saúde do seu filho.

Rotina e equilíbrio

A chave de tudo é manter o equilíbrio e uma rotina saudável para as crianças em todos os momentos, seja nas férias, em tempos de pandemia ou no período letivo. Para fortalecer o sistema imunológico, é fundamental se alimentar bem e garantir uma dieta rica em nutrientes e vitaminas. Uma alimentação diversificada e equilibrada tem o poder de reduzir o risco de doenças e melhorar a imunidade, mas é importante lembrar sempre: os alimentos, sozinhos, não livram as crianças das contaminações por vírus e bactérias, ok?

Por isso, é fundamental adotar cuidados para equilibrar todas as esferas da vida do seu filho, como ter um sono adequado e estimular a prática de atividades físicas. “Os pais podem melhorar a imunidade das crianças com a alimentação desde que ela seja variada, rica em frutas, verduras e legumes, porque eles são as nossas melhores fontes de vitaminas e minerais”, explica a nutricionista Dra. Elaine Pádua, mãe de Isabella e Rafaella.

Qualidade X quantidade na alimentação

Quando o assunto é a alimentação do seu filho, qualidade e quantidade estão completamente relacionados. Mesmo que as crianças comam de tudo, elas podem ter algumas carências  nutricionais. Prova disso é que no Brasil, as crianças ingerem menos vitaminas e minerais do que o recomendado. Segundo dados da pesquisa The Infant and Kids Study (IKS) e do IBGE, 99% das crianças brasileiras têm deficiência de vitamina D, 97% de cálcio; 75% de vitamina E; 65% de vitamina A; 55% de ferro; 34% de vitamina C e 19% de zinco.  Além disso, as crianças consomem 41% menos do que a recomendação diária de fibras, segundo a Organização Mundial da Saúde.

(Foto: Getty Images)

O número, considerado bastante preocupante, influencia em diversos pontos da saúde infantil, já que esses nutrientes, como as vitaminas A, C, D e E e os minerais (cálcio, ferro e zinco), têm um papel fundamental no fortalecimento imunológico das crianças. O zinco, por exemplo, ajuda na produção de células de defesa no sangue, estimulando o bom funcionamento e desenvolvimento das células imunológicas. Já o cálcio influencia no crescimento e saúde dos ossos e músculos, enquanto o ferro atua na fabricação das células vermelhas, combatendo a anemia. A vitamina D, além de auxiliar no  desenvolvimento e manutenção da saúde óssea, contribui para o fortalecimento do sistema imunológico. Já a vitamina A ajuda a manter a integridade de vários tecidos do corpo, como olhos, nariz, estômago e também atua no fortalecimento da função imune e da defesa antioxidante. Por fim, as fibras alimentares são nutrientes que estão presentes em diversos alimentos de origem vegetal, como frutas, legumes e cereais integrais. O benefício das fibras vai além do funcionamento regular do intestino: elas contribuem para um intestino mais saudável, melhorando a absorção dos nutrientes e a imunidade das crianças. “A função intestinal é muito importante, já que várias células imunológicas são produzidas no intestino. Por isso os probióticos e prebióticos são fundamentais também, podendo ser encontrados em iogurtes e, principalmente, nas fibras”, indica a especialista.

Para fazer com que as crianças consumam todos os nutrientes nas quantidades necessárias para um bom desenvolvimento, os alimentos fortificados podem ajudar.  É o caso dos compostos lácteos, nome dado ao produto cujo principal ingrediente é o leite, mas que também traz outros nutrientes em sua formulação. “Se o seu filho não consegue atingir a quantidade necessária de nutrientes na alimentação, o composto lácteo pode ajudar, corrigindo essas deficiências nutricionais”, indica Elaine.

(Foto: Getty Images)

Com o estilo de vida atual das famílias, a procura por alimentos práticos tem crescido significativamente. Em meio à correria do dia a dia, sabemos que nem sempre dá para manter um cardápio variado. Por volta dos 3 anos de idade, quando ganham mais autonomia, é comum as crianças serem mais seletivas com certos alimentos, especialmente verduras e legumes. Mas o cuidado com o que se põe no prato do seu filho deve ser diário. “Toda alimentação incorreta coloca em risco a saúde da criança, porque ela está em um processo de desenvolvimento e crescimento. Então, a gente precisa garantir que ela está recebendo todos os nutrientes para favorecer o desenvolvimento cerebral, a memória, a concentração e o bom funcionamento intestinal”, reforça a especialista.

A importância do café da manhã

Um café da manhã equilibrado permite que você e sua família comecem o dia com o pé direito. Quando realizado de maneira correta, ele traz muitos benefícios, como o menor consumo calórico durante o dia, maior controle glicêmico e também o menor risco de desenvolvimento de sobrepeso e obesidade. Além disso, a refeição auxilia na atenção, memória, imunidade e desempenho e presença escolar. Mas para isso, é preciso ingerir uma boa combinação de carboidratos, fibras, proteínas, gorduras, vitaminas e minerais. Esses nutrientes são encontrados em muitos alimentos, e você pode escolher o que preferir nos grupos de alimentos do café da manhã: grãos, frutas, água e laticínios.

(Foto: Getty Images)

Presente no cardápio de café da manhã de vários lares brasileiros,  o leite é importante para a saúde em qualquer idade. Além disso, ele também contém vitamina A, que ajuda no crescimento e desenvolvimento dos tecidos. Para as crianças, é ainda mais fundamental. Até os 6 anos de idade, o cálcio presente na bebida tem grande papel na formação dos ossos e dentes. A recomendação é que as crianças em idade escolar consumam duas porções de leite ou derivados por dia. Só para se ter ideia em relação ao cálcio, a necessidade é de entre 700 a 1.000 mg mg para crianças de 1 a 8 anos e 1.300 mg para crianças de 9 a 13 anos, segundo dados do Institute of Medicine.

Outra informação que também costuma gerar dúvidas quando o assunto é o consumo do leite, são os compostos lácteos. “Todo produto com o mínimo de 51% de leite entra na categoria de composto lácteo, segundo a legislação brasileira. Assim como aqueles que recebem o acréscimo de vitaminas, minerais e fibras que não estão presentes naturalmente no leite”, explica Elaine. Segundo a especialista, é importante não generalizar e entender que algumas opções de composto lácteo trazem tudo que o leite tem de bom naturalmente e ainda agregam nutrientes importantes. É o caso do novo NINHO Forti+ Instantâneo, que traz em sua fórmula um mix de vitaminas, minerais e fibras. O produto passou por mudanças e ainda tem o leite como principal componente, mas agora ganhou a adição de fibras, e por isso passou a ser chamado como composto lácteo. É importante ressaltar que o produto não tem adição de açúcares, corantes ou conservantes.

Além de estimular o crescimento e desenvolvimento infantil, o composto também ajuda a reforçar a imunidade e trazer opções adequadas para a nutrição. Mas para isso, é importante que você preste atenção na rotulagem nutricional. Fique de olho também para que o produto escolhido não contenha na sua lista de ingredientes nenhum óleo, aditivos, aromatizantes, assim como sacarose ou outros tipos de açúcares.