Intoxicação alimentar: tire as suas dúvidas e saiba os cuidados necessários

Cuidar da saúde deve ser uma prioridade em todas as épocas do ano. Por isso, o médico do departamento Materno-Infantil do Hospital Albert Einstein, dr. Claudio Len, deu mais informações sobre o assunto

Resumo da Notícia

  • A intoxicação alimentar pode acontecer com as crianças
  • Conheça os sintomas e causas dessa complicação
  • O pediatra dr. Claudio Len respondeu algumas perguntas sobre o assunto

Os problemas gastrointestinais, estão entre os comuns nos consultórios e prontos-socorros pediátricos. Sintomas como náuseas, vômitos, cólica e diarreia são frequentes, e na maioria das vezes estão relacionados a infecções intestinais e intoxicações alimentares, que são causadas por alimentos estragados (que podem ser rapidamente contaminados por bactérias e fungos).

-Publicidade-
Intoxicação alimentar é assunto sério, mas geralmente as crianças apresentam apenas sintomas leves (Foto: iStock)

Algumas reações químicas deste processo podem produzir toxinas que irritam a parede intestinal e provocam sintomas diversos. Na maioria dos casos, os sintomas são leves e podem ser controlados com medicações simples como antieméticos e analgésicos.

Por outro lado, sintomas como vômitos persistentes, prostração e irritabilidade podem ser indicativos de desidratação. Nestes casos os pais devem procurar imediatamente serviços de emergência, para que seja realizada hidratação por via endovenosa.

Todos os alimentos podem causar intoxicação alimentar? É necessário um cuidado maior com alguns deles?

Claudia, mãe de Sarah

Teoricamente todos os alimentos podem estar contaminados por bactérias, fungos ou substâncias potencialmente tóxicas ao organismo. Mas, alimentos de origem animal que requerem refrigeração, como leite e derivados, carnes, ovos, peixes e frutos do mar, são os que “estragam” com maior facilidade. Por isso, recomendo cuidados básicos como conservação adequada; manutenção da temperatura de acordo com as recomendações dos produtores; verificação frequente da data de validade e descarte de alimentos com aparência ou odor suspeitos.

Meu filho já teve intoxicação alimentar. Isso significa que ele é mais propenso a ter novamente? Quais sintomas necessitam de ajuda médica?

Sonia, mãe de João

A intoxicação alimentar é ocasional e depende da ingestão de um alimento contaminado. Ou seja, não há propensão por parte do nosso organismo. Os sintomas que indicam a necessidade de buscar ajuda médica são vômitos persistentes, dor abdominal de forte intensidade, palidez da pele, prostração intensa (a criança fica “mole”, sonolenta e caída), gemência, diminuição da frequência e volume de urina e febre alta (acima de 38,5o C).

Tem algum tratamento contra a intoxicação alimentar?

Heitor, pai de Maria Clara

Primeiro, deve-se interromper a ingestão do alimento estragado. Os vômitos iniciais podem ajudar, através da eliminação rápida destes alimentos. Mas caso persistam, deve ser administrado soro caseiro (ou comprado em farmácias), além de medicamentos antieméticos para evitar desidratação. Recomendo que os pais não hesitem, neste momento, em levar os filhos ao pronto-socorro para que recebam soro e medicamento por via endovenosa. Além disso, podem ser necessárias outras medidas, que o médico saberá informar.