Laboratório de São Paulo detecta nova subvariante da Ômicron em criança

O laboratório Dasa encontrou uma nova recombinante da variante Ômicron em uma criança de 3 anos, o subvariante ainda não foi identificada em nenhum lugar do mundo

Resumo da Notícia

  • Uma nova subvariante da Ômicron, da Covid-19, foi detectada em uma criança de 3 anos
  • O laboratório Dasa, em São Paulo, foi quem detectou a nova recombinante
  • Segundo registros do GISAID, mais nenhum lugar no mundo identificou essa subvariante

Uma nova subvariante da Ômicron, da Covid-19, foi detectada em uma criança de 3 anos na cidade de São Paulo, pelo laboratório Dasa. Segundo registros do GISAID, plataforma que disponibiliza dados genômicos do coronavírus, ainda não foi identificado mais nenhum caso dessa nova recombinante em nenhum lugar do mundo.

-Publicidade-

Recombinantes são vírus que apresentam um pedaço do genoma derivado dele e outro pedaço de uma linhagem distinta, por exemplo a “Deltacron”, uma recombinação entre um vírus Delta e um Ômicron. A amostra da criança foi coletada por meio do teste RT-PCR em 16 de fevereiro de 2022. O resultado apresentou compatibilidade com a SARS-CoV-2 BA.2.

Uma nova variante foi detectada em uma criança de 3 anos em São Paulo
Uma nova variante foi detectada em uma criança de 3 anos em São Paulo (Foto: Getty Images)

Segundo o virologista da Dasa, José Eduardo Levi, a família não viajou para fora do país, o que indica que a transmissão se deu no Brasil. “A criança passa bem. De qualquer forma, até o momento podemos afirmar que a sub-variante não causa sintomas diferentes do que a Ômicron”, afirmou Levi.

Caso essa recombinação tenha viabilidade biológica, ele pode infectar outras pessoas e pode se tornar uma pandemia causada por um novo vírus, extensão do Ômicron. Para que isso seja reconhecido, é necessário que haja ao menos cinco amostras de diferentes indivíduos que contenham a recombinante.