Criança

Loja internacional abandona rótulos e cria roupa infantil sem gênero

A rede John Lewis foi a primeira a adotar o movimento

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

As peças de roupas podem ser usadas por meninos e meninas. (Foto: Reprodução)

As peças de roupas podem ser usadas por meninos e meninas. (Foto: Reprodução)

*Por Ana Beatriz Gonçalves, filha de Carla e Virgílio

A loja varejista britânica John Lewis, que possui 153 anos de história e faz parte das maiores redes de lojas de departamento do Reino Unido e da Europa, abandonou os rótulos de “meninos” e “meninas” das roupas infantis de zero até 14 anos.

De acordo com o jornal The Independent, o processo de revitalização da rede começou pelas seções das lojas. Os sinais que separavam as alas de meninos e meninas, foram banidos e se tornaram uma única seção sem gênero, levando o nome de “Boys & Girls” ou “Girls & Boys”. As roupas são expostas juntas e os pais podem decidir o que querem comprar para seus filhos ou filhas. As etiquetas neutras também foram um passo importante para a mudança.

Nova etiqueta unissex.(Foto: Reprodução)

Nova etiqueta unissex.(Foto: Reprodução)

Dinossauros, naves espaciais, brinquedos e flores são desenhos que aparecem muito nas peças de roupa da nova linha da rede. As cores rosa e azul ainda estão presentes na coleção.

“Não queremos reforçar os estereótipos de gênero dentro de nossas coleções da John Lewis, ao invés disso, queremos oferecer uma maior variedade e escolha aos nossos clientes, para que os pais ou filhos possam escolher o que eles gostaria de usar, declarou Caroline Bettis, diretora do departamento infantil.

Segundo o grupo Let Clothes Be Clothes, a loja é a primeira do mundo a fazer essa transformação“É uma notícia fantástica e esperamos que outras lojas e varejistas caminhem na mesma direção. Uma camiseta deve ser apenas uma camiseta e não uma camiseta só para meninas ou para meninos”, disse um representante do movimento.

Nas redes sociais, os pais elogiaram o posicionamento diferenciado da varejista. A nova política do departamento de roupa infantil ainda não chegou à loja online da empresa!

Leia também:

4 famosos que criam seus filhos sem padrão de gênero

Mãe defende: “Boneca também é coisa de menino!”

Chega dessa história de “coisas de menino”!