Mãe se inspira na história da filha para criar brinquedos que promovem a diversidade

A “Eu Amo Papelão” traz o protagonismo a crianças por meio de brinquedos montáveis e que representam diversas características físicas. Diversão garantida para toda a família!

Resumo da Notícia

  • Criatividade! Brinquedos de papelão trazem inclusão com peças mostrando diferentes corpos
  • A 'Eu Amo Papelão' traz o protagonismo da crianças com brinquedos montáveis e representações dos mais diversos tipos de crianças em suas peças
  • Diversão garantida para toda a família!

Não existe nada melhor do que se ver no conteúdo que consumimos, seja ele na televisão, nos livros ou até mesmo nos brinquedos. Por isso, uma mãe decidiu criar com as próprias mãos uma linha de brinquedos montáveis para que a filha, que nasceu com alguns dedos das mãos diferentes devido a uma brida amniótica, se sentisse representada nas brincadeiras.

-Publicidade-

Simone é dona da empresa ‘Eu Amo Papelão’, que criou as peças que se encaixam e são capazes de promove brincadeiras super criativas para toda a família se divertir. E a marca ficou ainda melhor após uma história emocionante. Isso porque, após Simone entrar em contato com diversas lojas que pudessem fazer para a filha Roberta uma boneca com as mãos diferentes, foi dela própria que saiu a referência que diverte a filha até hoje.

Simone é mãe de Roberta e Renato
Simone é mãe de Roberta e Renato (Foto: Divulgação/ Eu Amo Papelão)

A ‘Eu Amo Papelão’ partiu desse ponto para criar uma linha de produtos que estabelecesse um importante viés de seus brinquedos: a inclusão e o protagonismo da criança. Como resultado, a Linha Destaque, Pinte e Monte permite que as crianças pintem e encaixem personagens e elementos de diversas temáticas, como Dinossauros, Piratas e Os Três Porquinhos.

“O que dizer, então, sobre o desenvolvimento infantil?”, reflete Simone, sobre a importância da linha que prioriza a representatividade. “As crianças são muito afetadas por seu entorno e os pais precisam valorizar tanto questões de sustentabilidade ambiental, como social na criação de seus filhos”.

O projeto foi inclusivo desde o início, buscando ouvir e se basear em pessoas com vivências de vida e trabalho em questões de diversidade, tendo contado com a participação de muitas pessoas, como Beto Bigatti (Pai Mala) e Adriana Araújo (jornalista).

Todas as peças vendidas pela ‘Eu Amo Papelão’, como o próprio nome diz, são feitas de papel. Por isso, ainda permite que as crianças personalizem cada peça do jeito que acharem melhor. “Todos os produtos são pensados nos pais, que geralmente fazem a montagem dos brinquedos, e na criança que vai brincar. Nossa matéria-prima é virgem, o que torna o brinquedo higiênico, resistente, o que permite que seja montado, desmontado e reusado quantas vezes a criança quiser”, comenta ainda Simone.

E ainda completa, “Nossos brinquedos dão asas à imaginação para que crianças e adultos possam brincar juntos, criando memórias afetivas e fortalecendo laços de amor e de afeto. Queremos e vamos criar um mundo que valorize as diferenças”.

Os brinquedos são de papelão e ainda promovem a sustentabilidade
Os brinquedos são de papelão e ainda promovem a sustentabilidade (Foto: Divulgação/ Eu Amo Papelão)

Fernanda Vicari foi consultora do projeto de Simone, e se comoveu com a ideia da mãe de Roberta e Renato desde antes dela sair do papel. Isso porque a própria Fernanda se sentiu representada pelos brinquedos, já que também é portadora de deficiência. Além dela, a Wise Hands, a primeira Include Tech Start Up de Tecnologia e Acessibilidade, que busca acessibilizar o mundo para pessoas através da tecnologia, também participou do projeto e tornou o brinquedo mais acessível através da tradução em libras, legendas e audiodescrição dos vídeos de apresentação do projeto e de montagem dos produtos. Assim, pessoas com deficiências visual e auditiva também podem ter acesso às informações.

“Essas são crianças reais, não apenas personagens. E infelizmente muitas vezes não fazem parte do dia a dia de muitas pessoas”, ressalta Fernanda, sobre a importância da linha da ‘Eu Amo Papelão’ para a inclusão. Sobre isso, Simone ainda completa: “Nós entregamos momentos felizes em família. Nossos brinquedos podem ser montados e desmontados conforme a imaginação da criança, em momentos de conexão com amigos e família fora das telas”. Para saber mais sobre os produtos e garantir os brinquedos aí na sua casa, é só acessar o site da ‘Eu Amo Papelão’ ou pelo Instagram, no @euamopapelao.