Criança

Mais da metade das crianças são estressadas e os pais não percebem, diz estudo

Saiba como lidar com a situação

Nathália Martins

Nathália Martins ,Filha de Sueli e Josias

as

Atente-se aos detalhes se seu filho estiver estressado (Foto: Reprodução/Istock)

Uma pesquisa realizada pelo portal médico WebMD, nos Estados Unidos, mostrou que 72% das crianças entre 5 e 13 anos demonstram sinais de estresse e que 60% dos pais não notam. O estudo funcionou da seguinte forma: os pesquisadores questionaram 432 pais de crianças com a frase “de 1 a 10, qual seria a sua nota dada ao nível de estresse?”. Em seguida, a mesma pergunta foi feita, porém agora relacionado ao seus filhos.

O estudo sugeriu que um em cada cinco adultos avaliou seu nível de estresse com 10. Quanto aos seus filhos, 60% dos ouvidos atribuíram notas abaixo de 4. No entanto, a mesma pesquisa mostra que 72% das crianças avaliadas demonstravam sinais relacionados ao estresse, como dor de barriga, dor de cabeça, choros e reclamações.

Identificando os sintomas

Se as crianças estão com um nível tão alto de estresse, como uma parcela expressiva dos adultos não percebem? Segundo a diretora do Blanc Spa e fisioterapeuta dermatofuncional, Ilê Lopes, o estresse em crianças é causado principalmente por perturbações na convivência familiar ou dificuldades no meio escolar.

Para saber se seu filho passa por momentos como esses, Lopes aponta sinais comuns como: mudança de comportamento, agressividade, queda de cabelo e até alergias. A fome em excesso também pode ser um indício diante do quadro.

Como lidar com a situação?

O mais aconselhado é procurar a ajuda de um profissional, mas não somente em relação aos filhos. “Não adianta os pais ajudarem a criança se eles são os causadores de perturbações”, argumenta Lopes, que é professora de ensino especial.

Como auxílio que se pode recorrer como apoio aos conselhos profissionais, Lopes sugere uma rotina mais “leve”. Passeios no parque, brincadeiras lúdicas e menos pressão dos pais em relação à escola podem proporcionar mais conforto.

Leia Também:

Estudo revela que crianças sensíveis se tornam adultos ligados às emoções dos outros