Menina autista de 11 anos é recordista do Guiness em cálculo mental: “Calculadora humana”

Sanna Hiremath foi diagnosticada com autismo quando tinha apenas 2 anos de idade e os pais descobriram que ela era ‘especialista em matemática’ quando ela tinha 7 anos

Resumo da Notícia

  • Diagnosticada com autismo quando tinha 2 anos, Sanna Hiremath, de agora 11 anos, é recordista do Guiness, o livro de recordes, em cálculo aritmético mental
  • Ela recebeu o prêmio ao multiplicar uma dúzia de dígitos gerados aleatoriamente em menos de 10 minutos
  • Apesar das conquistas, os pais garantem que querem que ela viva uma vida normal

Diagnosticada com autismo quando tinha 2 anos, Sanna Hiremath, de agora 11 anos, é recordista do Guiness, o livro de recordes, em cálculo aritmético mental. Ela recebeu o prêmio ao multiplicar uma dúzia de dígitos gerados aleatoriamente em menos de 10 minutos sem lápis nem papel.

-Publicidade-

“Ela não é apenas uma calculadora humana, ela pode realmente resolver problemas complexos. Não acho que ela tenha quaisquer limitações… Seis dígitos, sete dígitos, quem sabe quantos dígitos. Não acho que ela tenha essas limitações”, disse Uday, pai da recordista, ao News 9.

A família de Sanna vive em Hernando, na Flórida e foi lá onde descobriram que a filha era uma especialista em matemática. Tudo isso quando ela tinha apenas 7 anos de idade.

Menina autista de 11 anos é recordista do Guiness em cálculo mental (Foto: Shutterstock)

Apesar de entender os conceitos de multiplicação quase que instantaneamente, problemas quais até a mãe da menina, Priya apresentou dificuldade, a garota foi reprovada no 2º ano da escola fundamental justamente pela matéria tão amada. “Eles a testaram em matemática. Deram lápis e papel e disseram para ela escrever de um a 20 e ela não podia porque não conseguia segurar o lápis por problemas motores ”, explicou Uday.

Os pais também garantem que querem que ela viva uma vida normal, e que por muitos lados ela vive – sendo uma pré-adolescente que ama música, natação e andar de bicicleta.

Com as diferenças escolares aparentes e o talento escondido, os pais de Sanna decidiram educá-la em casa, tendo em vista que na escola não dava espaço para o raciocínio acelerado da menina. Sobre a nova forma de ensino, a mãe conclui: “Ela agora é capaz de fazer coisas que eram consideradas impossíveis durante sua primeira infância”.