Menina com síndrome de Down que foi recusada em 4 colégios emociona com foto da formatura

“Foram muitas vitórias, mas essa foi demais”, conta a mãe da menina

Rita é mãe de Valentina, uma menina de 6 anos que só queria frequentar a escola. Mas, depois de ver a matrícula da filha ser recusada em quatro instituições privadas, a mãe quase desistiu de colocar Valentina na escola.

-Publicidade-

Acontece que Valentina tem síndrome de Down, condição que faz a menina ter dificuldades para andar e se alimentar.

Apesar disso, por lei, escolas públicas e privadas são obrigadas a aceitar crianças com Down e outras condições especiais. Mas não foi isso que aconteceu quando Rita tentou matricular a filha.

“Eu mesma quase fiquei desacreditada [na lei] e quase não levei a Vava para a escola”, a mãe contou ao site Razões Para Acreditar. Mas tudo mudou quando Rita encontrou uma escola pública de Taubaté (SP), onde mora, que aceitou a matrícula de Valentina, onde foi “muito acolhida”.

Na EMEI Maria Pereira Santiago, Rita encontrou apoio da diretora Shirlei Cândido e de professoras como a Amanda Maciel, que lecionou para Valentina por dois anos e foi essencial para a integração da menina na classe.

Amanda contou que com a chegada de Valentina, ela estudou muito sobre a condição da menina e desenvolveu jogos e atividades com os alunos da classe para desconstruir quaisquer preconceitos que eles tivessem e que ao mesmo tempo atendessem às necessidades dela.

“Conscientizei os alunos sobre o tema da inclusão, mostrei as capacidades dos alunos especiais e seus direitos com uma abordagem lúdica”, explicou a professora ao Razões Para Acreditar.

Agora, depois de dois anos de aula com a professora Amanda na EMEI de Taubaté, Valentina finalmente se formou no Ensino Infantil e fez uma entrada triunfal na cerimônia de formatura.

A pedido de Amanda, uma voluntária da escola doou para a menina um andador rosa construído de canos de PVC, que permitiu que Valentina entrasse na cerimônia sem auxílio de outra pessoa.

A mãe da menina comentou o quão especial foi aquele momento. “Foi o que mais me emocionou. Ver ela andar sozinha, vencendo a timidez. Não teve como segurar [a emoção] e não foi só a gente, mas a escola inteira chorando.”

E não só a formatura da menina foi emocionante para a mãe, mas todo o aprendizado que a filha teve nos últimos dois anos. “Foram muitas vitórias durante todo esse processo. Vitória alimentar, vitória contra a timidez, da questão da autonomia. Foram muitas vitórias, mas essa foi demais!”

E é só o começo! Valentina vai continuar estudando na rede pública Municipal e ano que vem ela vai para o Ensino Fundamental. E que venham outras vitórias!

Leia também:

Menina com Síndrome de Down não é convidada para a própria formatura e tia desabafa na internet

Conheça a história do homem gay que adotou menina com Síndrome de Down rejeitada mais de 20 vezes

Crianças defendem colega cheerleader com síndrome de down de bullying