Menina de 10 anos com doença rara morre ‘de velhice’

A ucraniana tinha uma condição chamada Hutchinson-Gilford, que faz com que envelheça em ritmo mais acelerado que o normal

Resumo da Notícia

  • Iryna 'Irochka' Khimich era uma menina de apenas 10 anos com uma doença rara que a fazia envelhecer aceleradamente
  • A cada ano o corpo dela envelhecia quase uma década
  • Ela tinha 10 anos, mas o corpo e a saúde de uma senhora de 80
  • Ela lutou muito pela vida, e fazia quadros para tentar custear o tratamento nos Estados Unidos, mas acabou não resistindo

Uma menina de 10 anos morreu por conta de uma doença rara que a fazia envelhecer mais rápido do que o normal. A ucraniana, chamada Iryna ‘Irochka’ Khimich, tinha a síndrome de Hutchinson-Gilford, que também pode ser chamada de progéria, e não resistiu à doença na última quarta-feira, 30 de junho. As informações são do DailyMail.

-Publicidade-
Iryna era uma artista e pintava quadros para arrecadar dinheiro para custear o seu tratamento nos Estados Unidos (Foto: Reprodução / DailyMail / TNS)

Segundo os médicos, a condição fez com que ela aos 10 anos, tivesse um corpo de 80 anos de idade. E mais do que isso, a cada ano que se passava, para o organismo dela, era como se tivesse vivido e envelhecido quase uma década. Por isso, ela deveria ir para Boston para tentar o tratamento adequado.

Ela era uma jovem artista, e pintava quadros para poder pagar seus tratamentos nos Estados Unidos. Ela inclusive estava planejando uma exposição das suas artes na França em Paris – e era o seu grande sonho. A mãe dela, Dina, deu a notícia aos fãs pelas redes sociais no dia 1 de julho. “Irochka morreu. O coração dela parou ontem. Desculpe, meu raio de sol, não pudemos te salvar desta vez”, ela escreveu no post.

Dina Khimich era a mãe da menina, e fez tudo o que podia pela vida da filha (Foto: Reprodução / DailyMail / Dina Khimich)

Um empresário ucraniano, Andrey Zdesenko, que havia ajudado a menina a arrecadar dinheiro para o tratamento também lamentou a morte dela. “Irochka Khimich foi para o céu. Uma garota frágil, única e talentosa, ela lutou bravamente por dez anos com a terrível e rara doença da progéria”, declarou.

Ela tinha apenas 10 anos, mas o seu corpo e saúde eram de uma senhora de 80 anos (Foto: Reprodução / DailyMail / Andrey Zdesenko)

“Havia muita luz, amor, vitalidade, sinceridade nela. Ela via o mundo com muita nitidez, e se apressava em expressar tudo em suas pinturas. Ela fazia desenhos diferentes com as duas mãos. Incrível… Estamos felizes por termos conseguido mostrar o trabalho dela”, continuou.

A cada ano o corpo dela envelhecia quase uma década (Foto: Reprodução / DailyMail / Dina Khimich)

“Lembro-me de seus olhos felizes e sorriso tímido … Um sorriso e reconhecimento do criador, a quem tantas pessoas compareceram na exposição pessoal… E o orgulho feliz dos pais … Obrigado por sua contribuição para o nosso mundo. Esteja para sempre entre seus heróis brilhantes e lindos, lá nas nuvens. Nós choramos com seus entes queridos”, lamentou.

O que é progéria?

Segundo informações do DailyMail, como fonte Mayo Clinic, essa é uma doença genética progressiva extremamente rara que faz com que as crianças envelheçam rapidamente, e que ao nascerem parecem normais, mas os sintomas podem começar nos primeiros anos de vida.

De acordo com o site Tua Saúde, inicialmente, a progéria não tem sinais ou sintomas específicos, mas a partir do primeiro ano podem ser percebidas algumas alterações que são sugestivas da síndrome. Algumas são: atraso no desenvolvimento, rosto fino e queixo pequeno, perda de cabelo, presença de veias no couro cabeludo, atraso acentuado na queda e crescimento de novos dentes e outros sintomas que você pode conferir aqui. De qualquer maneira, o diagnóstico só pode ser dado por um médico após uma série de exames.

Problemas cardíacos ou derrames são a causa final de morte na maioria das pessoas com a condição. A expectativa média de vida é de cerca de 13 anos, mas algumas podem viver até 20 anos. Atualmente não há cura para a progéria.