Menina de 2 anos é atacada por coiote e avô relata desespero do acidente: “10 pontos na cabeça”

Ela foi levada às pressas para o hospital e precisou passar por uma cirurgia reconstrutora. A família acredita que o fato da criança estar viva é um milagre

Resumo da Notícia

  • A menina foi mordida na orelha pelo animal
  • Ela e o avô estavam em um parque do Canadá
  • A criança passou por uma cirurgia reconstrutora
  • O animal foi sacrificado após o ataque
Ela passou por uma cirurgia reconstrutora (Foto: reprodução / vídeo CTV News)

Na última segunda-feira, 20 de abril, uma menina de dois anos foi atacada por um coiote no Coronation Park, em Edmonton, no Canadá. Ela estava tomando ar com o avô, quando ambos foram surpreendidos pelo animal. “Ela estava correndo muito e desceu rápido demais”, lembrou John Starr, ao CTV News sobre o momento do acidente.

-Publicidade-

Quando se deu conta sobre o animal, ele também se levantou para escapar. Quando viu que o coiote estava segurando a neta pela orelha, ele entrou em desespero. A criança foi levada às pressas para o hospital e precisou realizar uma cirurgia reconstrutiva no ouvido.

Rochelle Starr, tia da menina, disse que tudo foi inacreditável: “Ela levou 10 pontos na cabeça… Na verdade, é um milagre que tenha saído disso”. A criança também realizou testes de raiva, para checar se não havia sido contaminada. O caso foi relatado à Alberta Fish and Wildlife e no dia seguinte ao acidente, o animal foi sacrificado.

-Publicidade-
A família afirmou que o fato dela estar viva é um milagre (Foto: reprodução / vídeo CTV News)

Kathleen Herbert, uma moradora local, também falou sobre o desespero enquanto passeava no parque com o cachorro. “Ele apenas ficou olhando o cachorro. Eu pensei que ele estava tentando descobrir uma maneira de me contornar para pegar ele. Ele estava a cerca de um metro e meio de mim e eu apenas balancei a trela para ele e estava gritando. Ele recuou um pouco, mas nos seguiu o caminho todo”.

A mulher afirmou ainda que está muito abalada com toda situação e que não pensa em voltar ao parque outra vez. “A adrenalina foi tão intensa. Nunca mais quero passar por isso de novo. “Eu não esperava, mas não culpo o coiote”, concluiu.

-Publicidade-