Menina de 4 anos que foi atingida por tiro na cabeça recebe alta do hospital

Aline Rocha estava internada desde 1 de junho após ser baleada

Resumo da Notícia

  • Menina de 4 anos foi baleada na cabeça durante um confronto entre policiais e criminosos
  • Ela recebeu alta do hospital nesta segunda-feira, 11 de julho
  • Alice Rocha ficou um pouco mais de um mês internada no hospital
   

A menina de 4 anos que foi baleada na cabeça durante um confronto entre policiais e criminosos, recebeu alta do hospital nesta segunda-feira, 11 de julho. Alice Rocha ficou um pouco mais de um mês internada no hospital. Inclusive, a mãe da criança está grávida e a menina ganhará um irmão.

-Publicidade-

Alice levou um tiro na cabeça no dia 1 de julho e ficou no hospital por mais de um mês. Durante o período de internação ela passou por diversas cirurgias e foi acompanhada por uma equipe integrada de várias áreas da saúde. Um mês após a internação, ela caminhou pela primeira vez. “Eu estou muito feliz e grata a todos e a Deus. Ela é meu milagre, que a minha filha está viva. Não sei explicar, mas estou muito feliz. Estou sem palavras, estou muito feliz, esse milagre lindo. Eu sempre quis ter uma filha menina, ele me deu e não tirou de mim”, disse Andressa Silva, a mãe da menina.

Menina de 4 anos que foi atingida por tiro na cabeça recebe alta do hospital (Foto: Reprodução / G1)

Além da alegria pela alta da garota, a família também está comemorando a gravidez da Andressa, que está no quarto mês de gestação. Alice está comemorando a alta e também que irá ganhar um irmão.

A garota foi baleada durante um confronto entre policiais e criminosos em frente a sua escola na Zona Oeste do Rio de Janeiro. Logo após o acidente, ela foi levada a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), e depois transferida para o Hospital Miguel Couto. Quando a menina começou a apresentar melhoras, o diretor do hospital, Cristiano Chame, falou ao G1 sobre a continuação do tratamento. “A Alice chegou muito grave, com uma bala alojada no cérebro. Passou por cirurgia. Imediatamente, assim que ela chegou, foi levada para o centro cirúrgico. E veio nesse processo de recuperação. Ela vai ter que passar pelo processo da fisioterapia, estar retornando no ambulatório do hospital para fazer o acompanhamento com a equipe da neurologia. Mas é um processo de recuperação”, explicou ele.