Menina de 6 anos é estuprada por amigo do pai e depois repreendida pela mãe

Uma menina de apenas 6 anos sofreu violência sexual diversas vezes por visitas que frequentavam sua casa. Desta última vez, a mãe bateu na filha após flagrá-la sendo estuprada pelo amigo do pai

Resumo da Notícia

  • Uma menina de apenas 6 anos sofreu violência sexual diversas vezes por visitas que frequentavam sua casa
  • Desta última vez, a mãe bateu na filha após flagrá-la sendo estuprada pelo amigo do pai
  • O caso aconteceu na última quarta-feira em Guaranésia, cidade de 19 mil habitantes no Sudoeste de Minas Gerais

Uma menina de apenas 6 anos sofreu violência sexual diversas vezes por visitas que frequentavam sua casa. Desta última vez, a mãe bateu na filha após flagrá-la sendo estuprada pelo amigo, de 61 anos, do pai. O caso aconteceu na última quarta-feira em Guaranésia, cidade de 19 mil habitantes no Sudoeste de Minas Gerais.

-Publicidade-

Profissionais do Centro Educacional e Social de Guaranésia (CESG) acionaram o Conselho Tutelar para relatar o que a criança contou. Ela chegou atrasada à escola e começou a chorar e reclamar de dor. A menina relatou que os pais não ingerem bebida alcoólica, porém fumam maconha e cheiram cocaína, e já ofereceram drogas para ela e os irmãos.

Disse também que sempre foi molestada por frequentadores da casa com beijos na boca e toques em seu órgão genital. O abuso mais recente foi de um homem de 61 anos, amigo do pai dela, que se dirigiu até o quarto e começou a tocá-la nas partes íntimas.

A menina sofria violência sexual toda vez que uma visita frequentava sua casa
A menina sofria violência sexual toda vez que uma visita frequentava sua casa (Foto: Reprodução / Getty Images)

O suspeito obrigou a criança a fazer sexo oral e a ameaçou de morte caso contasse a alguém. A mãe flagrou a cena, bateu na filha e pediu para que o autor fosse embora. Acompanhada por uma conselheira tutelar, a menina deu entrada em uma unidade hospitalar da região e teve a ruptura do hímen constatada por uma médica, que acionou a Polícia Militar.

Posteriormente, seguiu para o Instituto Médico Legal (IML) de Alfenas para a realização de exames complementares. Em nota, a Polícia Civil de Guaranésia informou que os trabalhos periciais foram concluídos e outros detalhes da ocorrência serão repassados em “momento oportuno”. “A respeito do caso, o Inquérito Policial foi instaurado, os trabalhos periciais já foram concluídos e a investigação segue em andamento. Novas informações do caso serão divulgadas em momento oportuno”.