Menina de 9 anos precisa reaprender a andar após contrair Covid-19

Emily Saville perdeu a força nos ossos como efeito colateral do vírus que vem devastando milhares de famílias

Resumo da Notícia

  • Uma menina de precisou reaprender a andar após meses de tratamento contra a Covid-19;
  • Emily Saville realizou diversos exames para checar se havia algum problema além do vírus, mas os médicos não encontraram nada;
  • A família comentou o desejo de conscientizar outros pais dos riscos do coronavírus em crianças.

Emily Saville, de 9 anos, ainda encara desafios que a Covid-19 lhe deixou, mesmo depois de três meses tratando o vírus. A menina perdeu a mobilidade do lado esquerdo do corpo, um efeito colateral conhecido por especialistas. Hoje em dia, Emily usa andadores e cadeira de rodas para se locomover.

-Publicidade-

Chris Saville, pai de Emily, disse ao jornal Mirror UK que a experiência foi aterrorizante para a família e agora, tem o desejo de conscientizar ainda mais pessoas dos riscos do coronavírus em crianças.

Emily em seu processo de recuperação, dando voltas de andador
Emily em seu processo de recuperação, dando voltas de andador (Foto: Reprodução/Mirror UK)

“Emily contraiu Covid em meados de setembro [do ano passado], mas até isso estava tudo bem. Um dia, ela acordou com um pouco de tosse e resfriado e achamos melhor fazer o exame. Ela teve um resultado positivo. Ela estava com dificuldade para respirar, mas nada muito grave. Três dias depois, ela estava com dores intensas e não conseguia se mover sem gritar de agonia”, contou o pai.

Preocupados, os pais de Emily a levaram às pressas para o Hospital Distrital de Yeovil, mas os médicos disseram que era “apenas Covid” e enviaram a menina para casa. Com as dores constantes e longe de parecerem ter fim, os pais voltaram ao atendimento médico e então foi readmitida no início de novembro, onde permaneceu por 13 dias.

No fim de sua internação, foram realizados novos exames para analisar as dores da menina mas nada foi encontrado e então ela recebeu alta. Apesar da liberação médica, Emily perdeu a força nos ossos e músculos do lado esquerdo do corpo, precisando de ajuda com tarefas básicas, como se vestir, sair da cama, tomar banho.

Recuperação

“Quando ela saiu do hospital, eles conseguiram controlar sua dor, mas ao longo dos dias ela precisou usar cadeira de rodas e andador para se locomover lentamente. Foi uma experiência extremamente assustadora para todos. Ela tem bons amigos que a ajudaram, mas esses foram dias sombrios para todos nós. Emily tem estado muito apavorada o tempo todo”, lamentou Chris.

“Queremos apenas aumentar a conscientização sobre o Covid-19 em crianças. Até que tivemos esse problema, fomos levados a acreditar que as crianças não sofriam de Covid e, se pegassem, era muito leve e se recuperavam muito rapidamente. Mas esse não foi o caso”, frisou.