Criança

Menina sorri pela primeira vez

Distúrbio foi identificado ainda quando criança estava no útero da mãe

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

10/12/2012

Olivia Gillies, 2 anos, conseguiu sorrir pela primeira vez após três cirurgias. A criança, que é portadora da síndrome de Wiedemann Beckwiths, não conseguia comer, falar, ou sorrir, por causa da língua que não parava de crescer, e precisou urgentemente de cirurgia, depois de quase morrer sufocada. A informação é do Daily Mail.

Os médicos identificaram o distúrbio quando ela ainda estava no útero da mãe, Emma, após uma ultrassonografia 4-D, feita em Welwyn Garden, na Inglaterra. “Foi como se tivesse caído uma bomba. Fomos avisados ​​que a língua dela seria até três vezes maior que a de um bebê recém-nascido normal, e iria continuar crescendo. Ficamos aterrorizados”, disse a mãe ao jornal.

Thanks to surgery little Olivia, pictured recently with mother Emma and father Ian, can smile for the first time

Emma não pode ver sua filha após o parto, já que a menina foi imediatamente para testes, que checaram sua capacidade de respiração. “Meu marido me mostrou uma foto dela no celular e meu coração derreteu. Sim, a língua dela era bem grande, mas ela era tão linda como qualquer outro filho, e eu mal podia esperar para segurá-la”, contou a mãe.

Por causa da língua, Olívia não conseguia mamar, e teve que ser alimentada por tubos até os seis meses de vida. Com 12 semanas, a criança foi examinada e constatou-se que sua respiração estava sendo prejudicada. Uma traqueotomia de emergência, então, foi marcada para que ela pudesse respirar melhor.

Com seis meses, Olívia fez a primeira cirurgia em setembro de 2010, mas sua língua continuou a crescer, obrigando a ser feita uma segunda cirurgia em março de 2011. “Era muito difícil para ela, que não conseguia comer ou falar. Mas ela aprendeu a linguagem de sinais para falar conosco e com os irmãos”, disse o pai.

A última cirurgia de redução da língua foi feita em março deste ano e, finalmente, a língua de Olívia parou de crescer, e ela não parou de sorrir. A menina agora  também consegue comer e falar normalmente.