;
Criança

Menino albino com problema de autoestima recebe convite que transformou sua vida

Elijah tem 5 anos e nunca se sentiu parte da família por ter a pele diferente

Izabel Gimenez

Izabel Gimenez ,filha de Laura e Décio

Elijah posa  (Foto: Reprodução/Instagram @everyone_loves_lijah)

Segundo a Sociedade Brasileira de Albinismo, o Albinismo é uma desordem genética na qual ocorre um defeito na produção da melanina – pigmento que dá cor a pele, cabelo e olhos. Elijah Enwerem, de 5 anos, vive em Willenhall, na Inglaterra. O menino nasceu albino em uma família negra e sempre se sentiu deslocado por ser tão diferente do pai.

Elijah era muito tímido em relação à sua aparência. Ele não gostava de se envolver com as pessoas, até a oportunidade de virar modelo de uma marca britânica. O convite mudou sua vida. “Desde que ele foi modelar sua confiança cresceu maciçamente. Ele agradece educadamente às pessoas se elas dizem como é incrível o cabelo dele, ou quão bonito ele é. Antes ele odiava!”, disse Lucy, mãe do menino, em entrevista ao Inspire More.

Ele parou de se questionar porque é diferente dos outros negros. Começou a perceber que ser diferente o faz único e que não há nada de errado nisso. Agora o garoto de 5 anos tem até uma conta no Instagram e através dela pode se conectar com outros modelos que tem a mesma condição que ele.

Isso é motivo de orgulho para os pais de Elijah, que acham que a criança pode ajudar a passar uma mensagem para a sociedade: “Eu gostaria de pensar que Elijah está ajudando a difundir a conscientização e a descartar alguns dos mitos que cercam as pessoas com albinismo”, afirmou a mãe.

Veja algumas fotos:

Elijah em foto na loja da Primark  (Foto: Reprodução/Instagram @everyone_loves_lijah)

 

Elijah e seu irmão posam em campanha (Foto: Reprodução/Instagram @everyone_loves_lijah)

Leia Também: 

Bebê enxerga sua mãe pela primeira vez

Veja como está o bebê que nasceu de cabelo branco e conquistou a internet

Barbie comemora 60 anos com linha de bonecas com deficiências e dá show de representatividade