Menino corta cabelo após 2 anos para ajudar amiga da mãe no tratamento contra câncer

Bruno, de 12 anos, não pensou duas vezes em ajudar uma amiga da mãe no tratamento contra o câncer, e doou o cabelo. O garoto havia ficado 2 anos sem cortar o cabelo, e espontaneamente decidiu doá-lo

Resumo da Notícia

  • Bruno, de 12 anos, havia ficado 2 anos sem cortar o cabelo
  • O menino não pensou duas vezes em ajudar uma amiga da mãe no tratamento contra o câncer, e doou o cabelo
  • A mãe, Antoniana Frota, fez questão de registrar o momento e publicar nas redes sociais

Bruno, de 12 anos, não pensou duas vezes em ajudar uma amiga da mãe no tratamento contra o câncer, e doou o cabelo. O garoto havia ficado 2 anos sem cortar o cabelo, e espontaneamente decidiu doá-lo. A mãe, Antoniana Frota, fez questão de registrar o momento e publicar nas redes sociais na última terça-feira.

-Publicidade-

“Mãe, você lembra quando eu falei que nunca ia cortar o cabelo?”, disse Bruno. Antoniana contou que a iniciativa do filho veio após um colega da escola chegar com a cabeça raspada, em apoio à mãe que estava em tratamento. “Foi bem inesperado. Ele chegou em casa, do nada, e disse que queria cortar o cabelo e doar para a tia Carol”, lembrou ao portal do G1.

Bruno ficou 2 anos sem cortar o cabelo, e decidiu doá-lo para a amiga da mãe que está lutando contra o câncer
Bruno ficou 2 anos sem cortar o cabelo, e decidiu doá-lo para a amiga da mãe que está lutando contra o câncer (Foto: Reprodução/Instagram @salaozairafernandes)

O cabelo, que já estava abaixo dos ombros, cresceu durante a pandemia da Covid-19. Antoniana disse que o incentivo para Bruno deixar as mechas longas foram os elogios que ele recebia. “Todo mundo dizia que o cabelo cacheado dele era muito lindo. Foi crescendo e, quando o chamei para cortar, ele não quis”.

O desapego veio de forma espontânea, de acordo com Antoniana. Ele teria dito à mãe que queria colocar numa caixa de presente e disse que a ‘tia Carol sempre achou o cabelo dele bonito, então ele seria dela’. “Acredito que o gesto fez bem aos dois. Ele sempre foi uma criança com muita empatia e já disse que quer deixar crescer para poder doar novamente”, contou. Bruno completou a fala da mãe: “acho que é o mínimo que eu poderia fazer”.