Menino de 11 anos é resgatado após denunciar tortura que sofria dos pais

Um menino de apenas 11 anos foi resgatado pelo Conselho Tutelar após os vizinhos denunciarem as torturas que ele sofria. Os pais da criança tiveram prisão preventiva por maus-tratos, tortura e abandono de menor, mas estão foragidos

Resumo da Notícia

  • Um menino de 11 anos conseguiu ser resgatado de seu lar abusivo
  • A criança contou a um vizinho que sofria maus-tratos e o Conselho Tutelar foi acionado
  • Os pais da criança tiveram prisão preventiva por maus-tratos, tortura e abandono de menor, mas estão foragidos

Um menino de apenas 11 anos foi resgatado de seu lar abusivo, graças a denúncia que os vizinhos fizeram ao Conselho Tutelar. O caso aconteceu em Itu, São Paulo, e a criança sofria violência física e psicológica. Os pais do menino tiveram prisão preventiva por maus-tratos, tortura e abandono de menor, mas estão foragidos.

-Publicidade-

O Conselho Tutelar afirma que recebeu a denúncia sobre as agressões na segunda-feira (2) e foi até o local indicado para resgatar a criança. O menino conseguiu fugir da residência dos pais e relatou as agressões sofridas para um amigo, depois que o pai o teria ameaçado de “cortar os seus dedos” com um facão. O fato teria acontecido depois que o garoto pediu R$4 para comprar pão-de-queijo, o que teria desagradado o homem. O colega em questão comunicou o caso a moradores vizinhos.

A criança teria relatado às pessoas que o encontraram que sofria agressões físicas, psicológicas e até mesmo privação alimentar na casa onde morava com os pais, no bairro Vila da Paz. As agressões, segundo o menino, começaram quando ele tinha 7 anos e eram realizadas de várias maneiras como enforcamento com fio, golpe de facão no corpo, tapas e socos. O menino relatou que chegou até mesmo a ser atingido por água de bateria de carro na cabeça.

O menino sofria abusos físicos e psicológicos dos pais
O menino sofria abusos físicos e psicológicos dos pais (Foto: Reprodução/UOL)

Ainda segundo o relato da criança, para que vizinhos não ouvissem os seus gritos e choro, o pai o levava para uma área onde tinha uma casa abandonada e lá ocorriam as agressões. Ele disse ainda que tinha medo de os pais serem presos e ele ser encaminhado a um abrigo, por isso não os denunciava. O menino foi acolhido pelo Conselho Tutelar e está sob a tutela do estado. Ele fez exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML) de Sorocaba (SP) para avaliar os ferimentos.

Segundo a Polícia Civil, o pedido de prisão preventiva dos pais foi qualificado como tortura, lesão corporal e abandono de incapaz. O caso corre em segredo de Justiça. Segundo informações da Polícia Civil, o casal ainda não tem defesa constituída. Este espaço será atualizado tão logo os investigados ou seus representantes legais apresentem manifestação.