Menino de 11 anos não resiste após cair do 9° andar de prédio no litoral de SP

O acidente aconteceu por volta das 9h  em um prédio localizado na Avenida Dr. Washington Luiz, no bairro Gonzaga, em Santos

Resumo da Notícia

  • Menino de 11 anos não resiste após cair do 9° andar de prédio no litoral de SP
  • O acidente aconteceu por volta das 9h  em um prédio localizado na Avenida Dr. Washington Luiz, no bairro Gonzaga, em Santos
  • Tudo indica que a queda foi realmente acidental
  • A polícia, no entanto, segue investigando o caso

Um menino de 11 anos faleceu nesta sexta-feira, 18 de junho, após cair do 9º andar de um prédio residencial em Santos, no litoral de São Paulo. De acordo com informações do G1, o corpo do garoto foi encontrado na rampa que dá acesso à garagem do prédio.

-Publicidade-

O acidente aconteceu por volta das 9h  em um prédio localizado na Avenida Dr. Washington Luiz, no bairro Gonzaga, conforme informado pela Polícia Militar. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado para atender o caso. Quando os médicos chegaram ao local, no entanto, o menino já estava sem vida. A Polícia Militar isolou a área até a chegada da perícia.

Menino de 11 anos não resiste após cair do 9° andar de prédio no litoral de SP (Foto: Getty Images)

Ainda em entrevista ao G1, o delegado Jorge Álvaro Gonçalves Cruz disse que o menino estava com a irmã de 17 anos quando tudo aconteceu. Cada um estava no próprio quarto, tendo aulas online. O apartamento é duplex e, em um determinado momento, o menino subiu para a área da cobertura. O lugar tem telas de proteção, menos em uma pequena parte, onde fica um jardim ornamental.

O delegado afirmou que não há nenhuma indicativa de homicídio a princípio e que os policiais acreditam que o que aconteceu foi realmente um acidente. “Não existe indicativo de um eventual homicídio. Não teve nenhuma pessoa estranha no imóvel, nada que justificasse um homicídio. Muito provável que tenha sido queda acidental. A priori, tudo indica que ele se desequilibrou”, contou ele.

Para continuar na investigação do caso, o notebook e o celular do menino foram apreendidos. Em uma primeira análise a polícia não encontrou nenhum indício que apontasse causas externas como motivação da queda. Apesar disso, o caso segue sob investigação.