Menino de 11 anos salva a vida de duas pessoas no mesmo dia inspirado na história do pai

Davyon Johnson foi nomeado membro honorário de Oklahoma, nos EUA, por causa de suas boas ações para toda a comunidade

Resumo da Notícia

  • Davyon Johnson, de apenas 11 anos de idade, salvou a vida de duas pessoas ao mesmo tempo
  • Por causa disso, o menino se tornou membro honorário de Oklahoma, nos EUA, onde mora com a família
  • Davyon se inspirou na história do pai - que morreu de covid-19 - para se tornar um verdadeiro herói da comunidade

Um menino de apenas 11 anos de idade foi responsável por salvar a vida de duas pessoas em apenas um dia na cidade de Oklahoma, nos EUA. Por lá, Davyon Johnson chegou a receber uma homenagem e se tornar membro honorário da cidade onde mora com a família.

-Publicidade-

Davyon, em um mesmo dia, salvou um colega de classe que estava sufocando e retirou uma mulher de uma casa que estava em chamas. Os feitos impressionantes, de acordo com o menino, são inspirados na memória do pai – que faleceu de covid-19.

No passado, contudo, o pai de Davyon chegou a resgatar uma série de famílias e até se arriscou a entrar em um prédio em chamas para assegurar que estavam todos seguros. “Admiro meu pai”, conta ele, simplesmente.

Davyon inspirou várias pessoas!
Davyon inspirou várias pessoas! (Foto: Reprodução/ Só Notícia Boa)

A professora de Davyon contou ainda que o menino teve um raciocínio extremamente rápido na hora de ajudar um colega que engasgou com uma tampa de garrafa. Sobre a situação. o pequeno herói ainda esclareceu que aprendeu a manobra de primeiros socorros no Youtube, e que qualquer um pode se preparar para situações do gênero no futuro.

“Se alguém se encontrar na situação em que me encontrei saberá o que fazer”, disse. Horas mais tarde, Davyon ainda conta que viu uma senhora com deficiência tentando, com muita dificuldade, sair de sua casa em chamas. Neste cenário, o menino correu para resgatar a mulher, e garantiu que ela ficasse segura até a chegada dos bombeiros e dos primeiros-socorros. “Pensei: ‘Ela não está se movendo rápido o suficiente’. Então, atravessei a rua e a ajudei a entrar em sua camionete”, contou.