Menino de 6 anos com câncer morre após plano de saúde não autorizar transplante de medula óssea

Marcelo Aragão lutava há três anos contra a leucemia linfoide aguda e encontrou um doador de medula óssea compatível. No entanto, o plano de saúde Planserv não autorizou o transplante, que precisava ser feito em São Paulo

Resumo da Notícia

  • Marcelo Aragão, chamado de Marcelinho pela família, morreu em Salvador após três anos lutando contra a leucemia linfoide aguda
  • O menino tinha apenas 6 anos recém-completados e encontrou um doador de medula óssea compatível
  • No entanto, o plano de saúde Planserv não autorizou o transplante, que precisava ser feito em São Paulo

Após três anos lutando contra a leucemia linfoide aguda, um tipo agressivo de câncer, Marcelo Aragão morreu em Salvador. Marcelinho, como era chamado pela família, tinha apenas 6 anos recém-completados e foi diagnosticado com a doença em 2018.

-Publicidade-
(Foto: Reprodução/Instagram)

O menino chegou a fazer vários tratamentos, como quimio e imunoterapia, e encontrou um doador de medula óssea compatível. No entanto, o plano de saúde Planserv, dos servidores do estado, não autorizou o transplante, que precisava ser feito em São Paulo. Por causa da resposta negativa, a família também acionou a Justiça para obrigar o Planserv a cobrir os custos.

(Foto: Reprodução/Instagram)

A mãe do garoto, Melina Oliveira, chegou até a criar uma campanha virtual para tentar arrecadar o valor necessário para pagar a cirurgia e gastos com a viagem. A meta da vaquinha era de R$ 250 mil.

Na época, ela contou sobre todo o sofrimento que Marcelinho passou por não conseguir ter uma vida normal. “O sofrimento maior é dele, porque ele não tem uma vida normal desde que nasceu, não foi à escola, não pode ter contato com outras crianças. Então isso é desesperador. Ele quer fazer as coisas, quer ir no shopping e não pode”, explicou a mãe.

(Foto: Reprodução/Instagram)

A família entrou na Justiça para que o plano de saúde pague o transplante, no entanto, ainda não tiveram nenhum retorno. “Marcelinho não tem muito tempo para esperar. Ele tendo a remissão, tem que fazer o transplante urgente. Então a gente espera a solidariedade de toda a população que possa ajudar. A gente fez uma vaquinha, porque há uma demora do plano e a gente não sabe se vai sair ou se não vai sair. A gente precisa desse valor o quanto antes para poder fazer o transplante”, explicou a mãe.

(Foto: Reprodução/Instagram)

Apesar de toda a luta, menino não foi operado, chegou a ser internado mais de 2 vezes, e não resistiu as efeitos da doença. O garoto foi enterrado na manhã deste sábado (30), no Cemitério Bosque da Paz.

Fonte: G1