Menino nasce com 12 dedos nas mãos e tira vantagem: “Sou melhor no videogame”

Faizan Najar tem 12 anos, mora na Índia e diz ter orgulho da condição genética rara, que o ajuda em diversas atividades cotidianas

Resumo da Notícia

  • Faizan Ahmad Najar, mora em Sheeri Baramulla, no norte da Índia
  • Ele tem 12 dedos pois nasceu com um dedo a mais em cada mão, condição rara que afeta poucas crianças
  • O garoto de 12 anos diz que tem orgulho dos dedos extras e que eles o ajudam muito quando joga vídeo game e escala árvores com os amigos

Faizan Ahmad Najar, que mora em Sheeri Baramulla, no norte da Índia, tem 12 dedos pois nasceu com um dedo a mais em cada mão, condição rara que afeta poucas crianças. O garoto de 12 anos diz que tem orgulho dos dedos extras e que eles o ajudam muito quando joga videogame e escala árvores com os amigos.

-Publicidade-
O menino nasceu com dois polegares extras e diz que eles o ajudam a jogar videogame (Foto: Reprodução / Vídeo SWNS)

Faizan está determinado a não deixar que isso afete a vida ou o futuro. “Sinto-me orgulhoso disso. Sou melhor no videogame… Não há vergonha – é a vontade de Deus. Às vezes, mas não com frequência, penso: ‘Por que só eu?’ Mas, no geral, tenho alguns bons amigos na escola que me impedem de me sentir assim”, disse segundo o Lad Bible.

Ele conta que planeja seguir carreira em medicina. “Quero ser médico. Quero tratar pacientes que nascem com tais disfunções, para que ninguém possa intimidá-los ou insultá-los”, completou.

-Publicidade-
Faizan espera se tornar um médico (Foto: Reprodução / Vídeo SWNS)

Ao ser questionado se já sofreu algum preconceito por ser diferente, ele afirmou que não. “Felizmente, não enfrentei muito disso porque moro no campo”, disse. O médico sênior Mushtaq Ahmed falou sobre a rara condição do menino. “É um defeito de nascença não muito comum. Mesmo que os pais sejam ‘normais’, isso ainda pode acontecer com os filhos”, contou.

O garoto tem 12 anos (Foto: Reprodução / Vídeo SWNS)

A mãe do garoto, Hafeeza, disse que ofereceram à família uma cirurgia para remover os dois dígitos quando ele era jovem, mas eles estavam preocupados que isso lhe trouxesse ‘má sorte’. “Quando ele tinha dois anos, disseram-nos que nosso filho deveria fazer uma cirurgia. Mas consultamos um santo sobre isso, e ele nos disse que nosso filho poderia perder a visão se fosse operado – portanto, não fizemos a cirurgia”, contou.

Hafeeza disse estar orgulhosa da maneira como o filho tem lidado com a vida e não permitiu que a condição o abatesse ou atrapalhasse de qualquer forma. “Quero vê-lo percorrer um longo caminho e se destacar na vida”, contou. Faizan também tem um irmão mais novo, Farhan, de oito anos, que não compartilha dessa condição.

-Publicidade-