Ministro da Saúde diz que crianças poderão ser vacinadas com CoronaVac caso Anvisa aprove

Marcelo Queiroga disse que ainda não foi aprovado o uso da CoronaVac em crianças

Resumo da Notícia

  • O ministro da Saúde deu uma entrevista à CNN
  • A Anvisa aprovando o uso da CoronaVac poderá ser usado em crianças de 4 a 11 anos
  • A vacinação das crianças começou no último domingo

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, deu uma entrevista à CNN onde contou que está apenas esperando a Anvisa aprovar o uso do imunizante CoronaVac, do Instituto Butantã, para vacinar crianças de 5 a 11 anos. A vacinação nas crianças começou no último domingo em alguns estados.

-Publicidade-

O ministro afirmou que, caso a vacina seja aprovada pela equipe técnica da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e por uma análise da aprovação feita internamente pelo Ministério, a vacina contra Covid-19 do Instituto Butantan poderá ser disponibilizada à população brasileira.

A CoronaVac poderá ser utilizada em crianças caso Anvisa aprove
A CoronaVac poderá ser utilizada em crianças caso Anvisa aprove (Foto: Getty Images)

“A Anvisa faz parte de um rol de agências que têm patamar de exigência de mais segurança nas suas análises”, afirmou. Ele pontuou que agência, como a Europeia de Medicamentos (EMA) e o FDA (Food and Drug Administration) dos Estados Unidos, aprovaram apenas o imunizante da Pfizer para vacinação infantil.

“Sempre queremos que tenha mais insumos, mais vacinas, mais medicamentos disponíveis. Mas é preciso observar os aspectos regulatórios”, pontuou. Queiroga também declarou que não seria necessária nova audiência pública para discutir a vacinação infantil. No entanto, ele pontua que “a questão não é acelerar” o processo de imunização das crianças.

“As doses têm que ser aplicadas no momento certo, observando as recomendações do Ministério da Saúde e da Anvisa para que não aconteçam erros vacinais como aqui no meu estado da Paraíba”, disse. O ministro também destacou que as vacinas não devem ser um fator condicionante para o retorno presencial às aulas previsto para o fim do mês.