Moda consciente: conheça a plataforma de roupas infantis que aposta na economia circular

Criada por Ana Cury, idealizadora do Fashion Weekend Kids e empresária expert no segmento de curadoria infantil, o projeto traz para as famílias a oportunidade de comprar roupas e, ao mesmo tempo, ajudar a preservar o meio ambiente

Resumo da Notícia

  • A indústria da moda é considerada uma das mais poluentes, gerando 8% dos gases poluentes emitidos em todo o mundo
  • Por isso, é muito importante repensar o consumo da moda e colocar em prática hábitos que não sejam prejudiciais ao meio ambiente
  • É nesse momento que entra em cena o consumo consciente, que é a bandeira que o e-commerce Ciranda levanta
  • Ciranda é uma plataforma online voltada para compra e venda de peças second hand de roupas infantis

Quando pensamos em maneiras de tornar nossos hábitos mais sustentáveis, um dos principais tópicos que precisam entrar nessa conversa é a moda e a maneira como consumimos os produtos dessa indústria. Parte onipresente do dia a dia de todas as pessoas, o setor de moda é responsável por 8% dos gases poluentes emitidos em todo o mundo, segundo informações da ONU. Mas então, já que roupas fazem parte do cotidiano da família e elas são necessárias, o que fazer para mudar essa situação?

-Publicidade-
Ciranda é um e-commerce que vende roupas infantis usadas e em bom estado (Foto: Reprodução Use Ciranda)

A resposta é simples: consumo consciente e colaborativo. Aliada da economia circular e do desenvolvimento sustentável, essa é uma maneira de unir moda e sustentabilidade e inserir novos hábitos no dia a dia de maneira natural.

Foi a partir desses princípios que nasceu a Ciranda, uma plataforma online voltada para o público infantil que funciona como e-commerce das peças chamadas “second hand”. Criada por Ana Cury, idealizadora do Fashion Weekend Kids e empresária expert no segmento de curadoria infantil, o projeto traz para as famílias a oportunidade de comprar e, ao mesmo tempo, ajudar a preservar o meio ambiente.

Criança cresce rápido e perde roupas mais rápido ainda. Por isso, muitas peças são usadas pouquíssimas vezes e acabam encostadas no guarda-roupa. A ideia da plataforma Ciranda é dar uma nova vida para elas com outras famílias – assim, a história se prolonga e elas podem fazer parte de novos momentos importantes de outras pessoas.

“O constante crescimento das crianças representa às famílias a necessidade de compra de novas peças em curto espaço de tempo”, explica Ana Cury. “Este ciclo preserva peças especiais, com pouco uso e perfeito estado de conservação. É nele o nosso foco com Ciranda”.

O e-commerce conta com itens importantes no acervo: peças em bom estado, que foram usadas poucas vezes – ou até mesmo nunca usadas – e que têm valor emocional (um dos principais motivos para manter uma roupa dentro do armário mesmo quando ela já não pode circular por aí). Para Ana Cury, Ciranda surgiu para ressignificar essas peças para outras famílias.

Os bonecos da “Família Ciranda” são feitos à mão com retalhos de tecido (Foto: Reprodução Instagram @useciranda)

Para o lançamento da plataforma, Ana Cury criou a “Família Ciranda”, uma série de bonecos feitos à mão com pedaços de pano: Julia, Olivia, Duda, Leo, Iara, Carlota e Dudu. No site (useciranda.com), é possível escolher roupas para comprar e colocar as que você não usa mais para vender, e, além disso, é possível conferir algumas peças no Instagram do e-commerce: @useciranda.