Criança

Mulher ensina mães a bater em crianças e defende o uso da vara como castigo

Simone Quaresma já tem um livro publicado e é coautora de um blog

Izabel Gimenez

Izabel Gimenez ,filha de Laura e Décio

Simone tem um Instagram dedicado a ensinar mães como punir seus filhos (Foto: Reprodução / Facebook)

No Instagram, Simone Quaresma ensina às mães como educar seus filhos. Com mais de 6 mil seguidores, a escritora propõe uma educação com uma perspectiva bíblica e compartilha as experiências que teve sendo mãe de quatro filhos e avó de uma menina.

Em seu livro, “O que toda mãe gostaria de saber sobre disciplina bíblica”, Simone explica a importância da correção com a vara e explica: “Quando usada de modo bíblico nos ajuda, não torna nossos filhos ‘impecáveis’, mas penitentes. A disciplina bíblica visa prepará-los para que quando pecarem, sendo confrontados, se dobrem ante a disciplina do Senhor”.

Pela redes sociais, responde dúvidas e conversa com os seguidores. Em uma das questões trazidas para a autora sobre quando é a melhor época para começar a dar as punições ela afirma: “Se tem idade pra fazer pirraça e te desrespeitar, tem idade para ser corrigido”.

Simone aconselha que não tem uma faixa etária específica, mas a maneira que a mãe vai fazer será diferente para cada uma. “Se você vai brigar com um bebê de 8 meses, pode só dar uma chacoalhada nele, um tapa na mão, na coxa para que ele entenda que tem algo errado. Com o tempo, seu filho vai começar a entender. Quando você perceber que ele está te ignorando, aí a coisa tem que ser mais incisiva e partir para a vara”.

Ela insiste que o objeto utilizado tenha que ser a vara e defende que “Quanto mais cedo você usa, mais eficaz será” e ainda afirma “O objetivo é que doa, mas que não machuque“. Ela diz que esse tipo de punição é uma associação da vara com a instrução da Bíblia e assim, “conseguir resgatar o seu filho do inferno”.

Dá uma olhada em um dos vídeos que Débora compartilhou em sua página no Facebook:

O que diz a lei

No Código Penal Brasileiro já é considerado crime bater em criança e, desde setembro de 2007, os maus-tratos a crianças e adolescentes passaram também a fazer parte dos crimes previstos pela Lei Maria da Penha.

Pais, mães e responsáveis pela violência podem pegar até três anos de detenção. Pelo artigo 136 do Código Penal, a pena para esses é de dois meses a um ano de prisão e pode aumentar em um terço se a criança tiver menos de 14 anos.

De acordo com o artigo 18 do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), é mais que um dever de todos nós cuidar da dignidade da criança. “Pondo-os a salvo de qualquer tratamento desumano, violento, aterrorizante, vexatório ou constrangedor”.

A Pais&Filhos repudia qualquer tipo de agressão contra crianças ou adolescentes e levantamos a importância da denúncia, caso você se depare com alguma situação parecida.

No Brasil, o principal canal de denúncias de crimes cometidos contra crianças e adolescentes é o Disque Denúncia Nacional, ou Disque 100, coordenado pela SEDH (Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República) em parceria com a Petrobras e o Cecria (Centro de Referência, Estudos e Ações sobre Crianças e Adolescentes).

Leia também:

Só agora é ilegal bater nos filhos na França

Um tapinha dói sim 

Gritar com crianças é tão ruim quanto bater nelas