Mulheres fingem ser crianças para expor pedófilos nas redes sociais

Na Tchecoslováquia está sendo lançado o documentário “Caught In The Net”, que pretende conscientizar crianças e pais a respeito dos cuidados dentro das redes sociais

Resumo da Notícia

  • Mulheres fingem ser crianças para expor pedófilos nas redes sociais
  • Na Tchecoslováquia está sendo lançado o documentário "Caught In The Net"
  • O filme pretende conscientizar crianças e pais a respeito dos cuidados dentro das redes sociais

Um filme na Tchecoslováquia está chamando a atenção do mundo todo por sua proposta de conscientização. Isso porque, no mais novo documentário “Caught In The Net” (em tradução livre, Pego na Internet), atrizes maiores de 18 anos de idade se passam por crianças para flagrar pedófilos online.

-Publicidade-

A dinâmica mostra que as mulheres se caracterizam como se tivessem 12 ou 13 anos dentro de um cenário de um quarto infantil. De lá, se cadastram em perfis criados para essa finalidade – e agiam como se não soubessem da máfia.

A produtora do material, Pavla Limesová, conversou com o portal The Sun a respeito do longa – e explicou as motivações por trás de sua produção.

“Sabíamos, pelas estatísticas, que o problema existe e esperávamos que as atrizes fossem contatadas por várias pessoas em um mesmo dia, mas eram centenas. Em um ponto, Sabina [uma das atrizes] recebeu 200 solicitações de amizade em um mesmo dia”. Atrizes narram suas experiências com homens que acreditam que elas são crianças nas redes sociais.

Todas as tatrizes são maiores de 18 anos de idade
Todas as tatrizes são maiores de 18 anos de idade (Foto: Reprodução/ Youtube)

“Foi muito difícil olhar esses caras nos olhos, sabendo que eles abusam de crianças. Algumas vezes você sente vontade de gritar com toda a força que sabe que o que eles estão fazendo é errado, mas precisa continuar no personagem”, desabafou Sabina, uma das atrizes participantes do documentário. O longa ainda abriu uma investigação com mais de 50 homens, e dois chegaram a ser presos pela ocorrido.

“Eu queria mostrar que esse é um problema para toda a sociedade e não apenas para crianças problemáticas ou filhos de pais divorciados”, opinou ainda Sabina. “Pode acontecer em boas famílias. Também é importante que as crianças vejam porque muitas delas acham que entrar em contato com as pessoas na internet é como um jogo e elas precisam saber onde esse jogo pode acabar”. Adaptações do filme estão sendo distribuídas em diversas escolas do país. Uau!