Dia do Beijo: entenda por que você não deve beijar a boca do seu filho

No dia 13 de abril, o Dia do Beijo é comemorado mundialmente! Mas, é preciso ter atenção quando o assunto é beijar as crianças. Por aqui, a gente sempre fala: na boca, não!

Resumo da Notícia

  • Em 13 de abril, é comemorado o Dia do Beijo
  • A psicóloga Betty Monteiro explicou por que os pais não devem beijar na boca dos filhos
  • É estimado que um beijo possa passar até 250 mil bactérias

Nesta terça-feira, 13 de abril, é comemorado o Dia do Beijo! Ao certo, não se sabe muito bem como a data passou a ser celebrada, mas é estimado que tenha surgido na Itália em 1882. Apesar de ser um ato de carinho, você sabia que a partir do beijo podem se passar mais de 250 mil bactérias?

-Publicidade-

Em 2016, a ex-Spice Girl, Victoria Beckham, mãe de Brooklyn, Harper, Romeo e Cruz, acabou causando polêmica ao compartilhar uma foto beijando a caçula no aniversário de cinco anos da menina. Na legenda, ela chegou a escrever na época: “Feliz aniversário, minha querida! Nós todos te amamos muito. Beijos da mamãe”.

Na época, Victoria Beckham chegou a se justificar que o beijo na filha, Harper, acontece porque a família é muito afetuosa e seria uma ato de demonstrar amor, proteção, carinho e suporte. Mas, apesar disso, a foto recebeu diversos comentários negativos de pessoas que não aprovam a atitude. Para entender melhor sobre o tema, conversamos com a psicóloga Betty Monteiro, mãe de Gabriela, Samuel, Tarsila e Francisco, que também acredita que o comportamento deve ser evitado. “Teoricamente, pode haver uma erotização. Na cabeça de alguns adultos, existe um desejo inconsciente por crianças”, afirma a especialista. Isso pode fazer com que a criança não consiga no futuro diferenciar um beijo inocente dado pelos pais ou uma tentativa de abuso por um estranho, por exemplo.

-Publicidade-
O Dia do Beijo é comemorado mundialmente no dia 13 de abril (Foto: Shutterstock)

Por mais que o beijo seja inocente, é preciso ficar de olho quanto ao risco da banalização do carinho e do sexo, que são assuntos muito íntimos, de acordo com a psicóloga. “Não cumprimentamos as pessoas com beijo na boca”, comenta.  Não é bom que a criança aprenda que o beijo na boca é uma coisa sem importância. A prática pode causar, inclusive, um conflito na cabeça da menina ou do menino e prejudicar o desenvolvimento. Mãe e pai não podem ser padrão de sexualidade dos filhos.

Já quanto à saúde, a prática em si não oferece riscos, mas se o pai ou mãe tiver uma doença que seja contagiosa, como gripe, pode passar para a criança, de acordo com o pediatra Claudio Len, pai de Fernando, Beatriz e Silvia, e colunista da Pais&Filhos.