Criança

Você já conhece o livro “A Parte que Falta”? Veja a nossa opinião

O vídeo da Youtuber Jout Jout sobre a obra já tem mais de 3 milhões de visualizações

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

(Foto: reprodução do Youtube)

(Foto: reprodução do Youtube)

Você já deve ter visto o rosto da jornalista Jout Jout com este livro infantil nas mãos: “A Parte que Falta”. A obra ficou em primeiro lugar na lista de mais vendidos da Amazon no Brasil logo depois que a Youtuber fez um vídeo lendo cada página e se emocionando durante a leitura.

Apenas duas semanas após a publicação, o vídeo já alcançou mais 3 milhões de visualizações. “Eu quero dar esse livro para todas as pessoas que eu conheço”, disse Jout Jout na gravação, parece que as pessoas ficaram com este mesmo desejo.

Embora tenha sido relançado pela Companhia das Letras, o livro, ilustrado e escrito pelo americano Shel Silverstein não é nada novo. “A Parte que Falta”, foi publicada em 1976. A história é de um círculo que tem um pedaço faltando e passa o livro inteiro em busca da parte que falta para se sentir completo.

Depois do “bum” que foi o vídeo da Jout Jout, nosso grupo de WhatsApp bombou com os embaixadores encantados pela obra e com a sensibilidade da Youtuber em ler para milhões de pessoas um livro infantil.

“Achei o livro sensacional, acho que mostra bem essa loucura pela busca incansável para encontrar felicidade”, comenta Renata Chiarello, mãe de Betina. Mas começamos um debate para saber se este era ou não realmente um livro infantil. Segundo a psicóloga Betty Monteiro, mãe de Gabriela, Samuel, Tarsila e Francisco, a criança ainda não tem essa angústia existencial que o personagem do livro demonstra. Porém é ótimo para trabalhar a frustração no seu filho. Nem sempre as coisas vão ser do jeito que a gente espera, como o exemplo do personagem que encontra partes maiores, menores e frágeis e não consegue completar a parte que falta.

“Minha filha ganhou o livro de aniversário ano passado, lia à noite para ela na cama. Embora seja infantil, acho que também serve muito para a gente”, comenta Luciana Loew, mãe de Teresa e Alice. É ótimo quando uma obra consegue atingir tanto os filhos quanto os pais, e você pode compartilhar suas próprias experiências com as crianças enquanto lê. Eline Lee, mãe de Eduardo, contou para a gente que concorda que as crianças sabem muito bem aproveitar o momento, o presente, o que mostra que a gente também pode aprender com eles.

Obrigada, Jout Jout por resgatar um livro antigo e despertar o interesse das pessoas na leitura. “Obrigada por mostrar que livro de criança também pode ser de adulto. E que tema de adulto também pode ser de criança”, escreve nossa colunista Lô Carvalho, mãe de Gabi e Fernando.

Leia também:

Crianças refugiadas publicam livros contando suas histórias e sonhos

6 livros para o seu filho amar o mundo da literatura antes mesmo de saber ler

Livros são as únicas coisas que menina salva de enchente