Oi?! Menino de 4 anos come pedaços de fraldas e colchões todos os dias por causa de doença rara

Marie Buckley é mãe de William, que possui uma raríssima condição que o faz ter vontade de comer coisas sem valor nutritivo algum. Entenda o caso e a rotina da família

Resumo da Notícia

  • Uma doença rara faz com que um menino de 4 anos coma colchões e fraldas todos os dias
  • Marie Buckley, de 32 anos de idade, confirmou que a rotina da família é ainda mais complicada por causa da situação
  • William faz tratamento desde os dois anos de idade para lidar com o quadro

Marie Buckley, de 32 anos de idade, admitiu que o filho vem sentindo vontade de comer objetos e coisas sem valor nutritivo algum por causa de uma raríssima condição. William possui apenas 4 anos de idade e é diagnosticado com picamalácia.

-Publicidade-

Por causa da doença, William só sente vontade de comer colchões e fraldas –  o que faz diariamente. Marie admitiu que cuidar do menino é muito difícil, e a rotina da família se torna cada vez mais complicada por causa da situação.

“Ele come papel, comeu metade de um livro que estava na prateleira do quarto… Também come fibras de carpete, brinquedos, capa de chuva, penugens, cabelos”, contextualizou a mãe ao portal Daily Mail. Por causa disso, ela teve de adaptar a rotina da casa para “distrair” o menino de suas vontades.

“É um trabalho que ainda está em andamento. Durante o dia eu posso interferir e distraí-lo, mas durante a noite está sendo difícil. William nem sempre tentou comer suas fraldas, por exemplo, mas esse é um problema que começou nos últimos meses, principalmente à noite, quando ele está em seu quarto”. Além disso, Marie contou que precisou tirar livros e revistas do quarto de William.

A babá eletrônica captou o momento em que William come uma fralda
A babá eletrônica captou o momento em que William come uma fralda (Foto: Reprodução/ Daily Mail)

A Associação Nacional de Distúrbios Alimentares, nos EUA, admitiu que o distúrbio só deve ser confirmado a partir dos dois anos de idade – e que pode ser tratada com a reparação da deficiência de determinados nutrientes e minerais que, segundo eles, podem levar à condição.

“Anemia ferropriva e desnutrição são duas das causas mais comuns de picamalácia. Nesses indivíduos, a pica é um sinal de que o corpo está tentando corrigir uma deficiência significativa de nutrientes. Tratar essa deficiência com medicamentos ou vitaminas geralmente resolve os problemas”, confirma a associação. “Em muitos casos, os comportamentos alimentares desaparecem à medida que as deficiências são corrigidas. Se os comportamentos não são causados ​​por desnutrição ou não param após o tratamento nutricional, uma variedade de intervenções comportamentais estão disponíveis”.

A instituição confirmou ainda que o quadro pode ser encontrado em pessoas – crianças ou adultos – diagnosticados com autismo. William, para além do espectro autista, também possui atraso global no desenvolvimento e transtorno do processamento sensorial.

Por causa disso, Marie enfim desabafa: “A falta de consciência das pessoas é chocante. A crueldade nos comentários que as pessoas fazem é absurda”. Uau!