Criança

Palmadas como correção podem deixar a criança mais agressiva, defende estudo

O estudo é da Academia Americana de Pediatria

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Bater, xingar ou gritar com as crianças, faz com que o hormônio de estresse aumente. (Foto: Getty Images)

Bater, xingar ou gritar com as crianças, faz com que os hormônios do estresse aumentem (Foto: Getty Images)

“Violência não leva a nada!” Frase que sempre ouvimos falar, mas agora foi comprovada em um estudo da Academia Americana de Pediatria (AAP), que quando aplicada a crianças como medida educativa pode trazer efeitos negativos no futuro.

De acordo com os estudiosos, o uso de palmadas ou de qualquer outra forma de violência física, mais de duas vezes por mês até os 3 anos, torna crianças mais agressivas aos 5 anos. Em uma projeção maior, foi constatado que aos 9 anos esta mesma criança apresentaria mais comportamentos negativos.

Em outra pesquisa, a Academia afirmou que ao bater, xingar ou até mesmo gritar com a criança, os hormônios do estresse se elevam e podem alterar a forma do cérebro.

Seus filhos podem ficar com uma sensação de abandono nessa fase (Foto: iStock)

O estudo é da Academia Americana de Pediatria (Foto: iStock)

Em busca de colaborar para que os pais pudessem proporcionar uma criação adequada a seus filhos, o AAP elaborou uma nova política, chamada de “Effective Discipline to Raise Healthy Children” (Disciplina Eficaz para Criação de Crianças Saudáveis), que será disponibilizada em seu site em dezembro.

Com uma visão positivista, Robert D. Sege, um dos autores da nova política, revela que cada vez menos pais estão utilizando as palmadas como medida educativa, se comparado com o passado.

Leia também:

Criança ativa se torna um adulto saudável 

Gritar com crianças é tão ruim quanto bater nelas 

Estudo afirma que países onde os pais são proibidos de bater nos filhos têm menor índice de violência