Criança

Professor ajuda aluno cadeirante a jogar capoeira e emociona

Nicolas Maurici Mistura, de 13 anos, foi recebido de braços abertos pelo professor

Bruna Floriano

Bruna Floriano ,filha de Renata e Sérgio

 

Nícolas foi convidado a participar da iniciação (Foto: reprodução/ SóNotíciaBoa)

Um professor de Brusque, em Santa Catarina, apareceu em um vídeo ajudando Nicolas Maurici Mistura, de 13 anos, cadeirante, a participar da aula. Ele é conhecido como Mestre Urso, de 42 anos, do Centro de Treinamento Barro Negro. Ele pratica capoeira há 35 anos e é especializado em ajudar pessoas com deficiências.

“Eu tive aquela vontade de pegar ele e botar na roda pra mostrar que ele é igual, que ele também pode”, disse o Mestre Urso, ao SóNotíciaBoa. A atitude deixou Aline Rosa, mãe de um dos colegas de Nícolas, surpresa e emocionada, decidida a gravar um vídeo para registrar aquele momento. “Me emocionou muito a atitude nobre do mestre, que acalentou o coração de todos ali, provando que a inclusão é possível e que todas as crianças têm direito de se divertir e interagir”.

Mestre Urso é da Bahia e tem o foco de ajudar crianças com deficiência (Foto: reprodução/ SóNotíciaBoa)

A mãe de Nícolas, Helaine, autorizou a divulgação do vídeo e desabafou: “Felicidade, admiração, gratidão, amor. Senti que vale a pena lutar por ele”, afirmou. Além disso, a mãe elogiou o Mestre Urso pelo gesto de amor. Ela adotou Nícolas assim que ele nasceu, e só depois descobriram que ele tinha um problema congênito. Mas isso não fez a mínima diferença para os pais.

“Nicolas é meu filho adotivo. Adotamos com 29 dias sem conhecimento do problema neurológico. Aos 9 meses foi diagnosticado com Agiria Paquigiria Lisencefalia, uma má formação do cérebro, além da paralisia cerebral”, contou Helaine. O menino teve que ser retirado do colégio devido às limitações.

“Procurei a dona da escola Renascer no ano em que tirei o Nicolas do colégio. Chorando muito porque ele saiu de uma sala com 22 alunos para uma sala da APAE com 1 aluno mais comprometido que ele. Ela me acolheu”. Atualmente, Nícolas recebe atenção especializada, além das aulas de capoeira.

“Tenho um projeto social em Salvador, com alunos que deixei lá formados. Já tive um trabalho em Salvador com 60 senhoras de capoeira. Trabalhei em um hospital psiquiátrico como vigilante e também dava aula de capoeira dentro do hospital, com o projeto social”, disse Mestre Urso. Confira o momento que emocionou diversas pessoas na internet:

Leia também:

Menino de 9 anos usa dinheiro do cofrinho para ajudar professora

Professor carrega aluno cadeirante no colo para que ele possa brincar de pular corda durante intervalo

Mãe desabafa após professora não deixar sua filha beber suco: “Mantenha suas opiniões para você”