Professora arrecada celulares para que alunos consigam estudar na pandemia

Ana Paula Chrispiniano criou uma campanha nas redes sociais para ajudar seus alunos que não tem material para assistir às aulas online

Resumo da Notícia

  • Professora de SP percebeu que nem todos os seus alunos estavam participando das aulas online
  • O motivo era que alguns deles não tinham sequer um aparelho de celular para acessar os conteúdos
  • Ela criou, então, uma campanha para arrecadar telefones e doar a esses estudantes
Professora quer arrecadar celulares para que alunos possam estudar na pandemia (Foto: Eirik Solheim on Unsplash)

Uma professora de uma escola estadual de Mogi das Cruzes (SP) criou uma campanha para que seus alunos não deixem de estudar durante a pandemia do novo coronavírus. Além das dificuldade em fazer com que os estudantes se interessem pelas aulas remotas, Ana Paula Chrispiniano logo se deu conta de que tinha um obstáculo ainda maior para enfrentar: a falta de ferramentas tecnológicas.

-Publicidade-

Desde março, as aulas presenciais estão suspensas em todo o estado de São Paulo. De lá para cá, Ana Paula percebeu que nem todos os estudantes estavam conseguindo interagir nos grupos dos aplicativos de mensagem. “Quando a gente não teve retorno dos alunos, eu percebi que eles não faziam porque não tinham o aparelho em mãos”, diz a professora ao G1.

Para tentar resolver a situação, Ana Paula começou uma campanha nas redes sociais para arrecadar aparelhos de celular usados, mas que ainda estivessem em condições de uso. O objetivo era doar para os seus alunos que não tinham nenhuma ferramenta tecnológica para acessar os conteúdos. Pelo menos 15 deles não possuíam aparelho ou precisavam dividir com os pais.

-Publicidade-

Segundo ela, o governo está financiando a internet para que os alunos possam ter acesso às aulas. Mas, em alguns casos, só isso não é suficiente: falta o instrumento para acessar os conteúdos. Ela conta que essa dificuldade de acesso coloca em risco até a permanência dos alunos na escola. “É um momento em que soma a dificuldade financeira, a perda de familiares para o novo coronavírus, então o emocional deles fica muito abalado. A gente tenta se aproximar deles de alguma forma para continuarem, mas além da falta de tecnologia, tem criança que os pais que não conseguem ajudar. É uma situação complicada”, explica.

Até agora, Ana Paula não conseguiu o número de aparelhos necessários para ajudar todos os estudantes. Quem quiser colaborar, pode entrar em contato com ela pelo e-mail: ap_cl@yahoo.com.br