Psicóloga infantil aponta quais comportamentos do seu filho merecem sua atenção

Ninguém sabe mais sobre os marcos da criança e questões sociais do que um psicólogo

Ninguém sabe mais sobre os marcos da criança e questões sociais do que um psicólogo infantil (Foto: Getty Images)

Francyne Zeltser é psicóloga licenciada, psicóloga escolar certificada, professora adjunta e mãe de dois filhos em Nova York. Ela promove uma abordagem de suporte e solução de problemas, na qual seus clientes aprendem estratégias adaptativas para gerenciar desafios e trabalham para alcançar objetivos de curto e longo prazo.

Ninguém sabe mais sobre os marcos da criança e questões sociais do que um psicólogo infantil. Por isso Francyne, profissional da área, quer ajudar os pais a se preocupar menos.

“Como psicóloga infantil, falo com muitos pais preocupados com o desenvolvimento ou comportamento de seus filhos. Primeiramente, meus clientes não sabem ao certo quais comportamentos eles devem ficar com a atenção ligada – “Devo me preocupar quando meu filho faz isso” ou “É estranho que meu filho tenha dito isso”.

Até compartilhei os mesmos pensamentos: quando me tornei mãe de dois meninos, Hunter, 3, e Paxton, 1, meu trabalho apenas aumentou algumas das preocupações que, como todos os pais, tenho. Afinal, eu testemunho em primeira mão como a paternidade pode afetar as crianças. Os pais têm um turbilhão de coisas com que se preocupar, mas simplesmente não podemos nos preocupar com tudo. Enquanto amamos nossos filhos e tentamos ao máximo dar-lhes uma infância feliz, estamos fazendo o melhor que podemos.

Aqui, compartilho o que não me preocupa quando se trata de meus filhos e quais preocupações priorizo. Embora não exista uma maneira correta de criar filhos, é possível sentir-se confiante de que você está fazendo as melhores escolhas para suas crianças.  

Não me preocupo

Se estou sendo um modelo positivo

Como mãe trabalhadora, nem sempre passo o dia todo com meus filhos. Mas o mais importante do que a quantidade de tempo que você passa com seus filhos é a qualidade do tempo que você tem juntos. Quando estou com meus filhos, seja por uma hora ou por um dia inteiro, respondo às sugestões e necessidades deles e presto total atenção sempre que possível para encaminhá-los para o sucesso. Durante o dia de trabalho, meus filhos estão com cuidadores experientes que ajudam a ensiná-los a serem resilientes e adaptáveis ​​às mudanças. Mesmo que você não vá trabalhar, um tempo separado dos pais pode ajudar a ensinar autonomia e independência a seu filho. Então convide a avó para tomar conta! Um pouco de tempo é saudável para todos os envolvidos.

Se eles estão cumprindo seus marcos

As crianças cumprem os marcos do desenvolvimento quando estão prontas. Existem faixas do que é considerado apropriado e do que pode ser considerado atrasado. Minha colega Jaclyn Shlisky, psicóloga infantil e mãe de Piper, 4, e Harlow, 2, me disse que ela constantemente vê pais comparando seus filhos com os outros. Seu conselho: Pare! “Cada criança aprende e cresce no seu próprio ritmo”. Concentre-se mais em como seus filhos progridem comparando-os a si mesmos – se estão progredindo a cada dia, a cada semana, a cada mês, é isso que realmente importa. Todos os dias, tente encontrar uma pequena vitória.

E se você tiver preocupações, compartilhe-as com seu pediatra, e não em um grupo materno no Facebook. O seu pediatra é o seu parceiro parental especializado, por isso, se você não confiar no seu pediatra, encontre um novo. Além disso, não se preocupe se houver um atraso. Os serviços de intervenção precoce são altamente eficazes. Se o seu pediatra sugerir que você faça um acompanhamento com um especialista ou faça uma avaliação, faça imediatamente. Quanto mais cedo um problema for identificado, maior a probabilidade dele ser corrigido.

Se houver uma mudança na nossa rotina

Aqui está uma confissão: eu mantenho meus filhos fora até tarde nos feriados e às vezes pulo uma soneca para fazer uma atividade divertida. Já até deixei meus filhos irem para a cama conosco e assistir desenhos animados nas férias.

Muitos pais acham que precisam seguir um cronograma rígido ou seus filhos vão desandar. Não há dúvida de que as crianças prosperam na rotina e se beneficiam de expectativas claras. As crianças, como a maioria das pessoas, se saem melhor quando sabem o que esperar. Mas as mudanças em sua rotina ou programação diária não afetarão seus filhos. Sim, você pode ter um pequeno contratempo ou algum comportamento fora do comum ao tentar voltar ao cronograma. Mas tudo bem. Os horários podem ser ajustados, o sono pode ser treinado novamente e o mau comportamento pode ser domado, mas tomar sorvete no café da manhã no aniversário dele é algo que seu filho se lembrará para sempre.

Muitos pais acham que precisam seguir um cronograma rígido ou seus filhos vão desandar (Foto: Getty Images)

Se meus filhos são frescos com comida

Desde que o pediatra não tenha preocupações com seu peso ou saúde, não luto com meus filhos em relação à comida. Normalmente, ofereço duas opções de refeições: o que nós, como família, estamos comendo e o que está atualmente disponível na minha geladeira. Se estão com fome, comem, se não estão, não comem.

Também vi pais oferecendo uma refeição com duas ou mais opções de comida. Por exemplo, um jantar que consiste em uma proteína, carboidrato e vegetais deve incluir pelo menos um item preferido e outro que seja novo ou menos preferido. Isso dá ao seu filho a chance de experimentar novos alimentos, mas não o força a comê-lo. Também garante que ela estará comendo pelo menos parte da refeição sem protestar. Descobri que, quando tento forçar meu bebê a tentar algo novo, ele é resistente. No entanto, quando eu lhe dou a opção de colocá-lo em seu prato com outros alimentos familiares e confortáveis, ele está mais disposto a dar uma mordida, já que a pressão é baixa e a escolha é dele.

Se meus filhos tiverem tempo de ficar no celular

Como todo o resto, a exposição a telas e tecnologia pode ser útil, se for cuidadosamente monitorada e regulada pelos cuidadores. Interaja com seu filho enquanto assiste TV e discuta os personagens e os temas do episódio durante os comerciais. A maioria dos dispositivos possui controle dos pais – aproveite-os! Adoro o Acesso Guiado no meu iPhone, que restringe meu filho a usar apenas o aplicativo que está aberto e pode até desligar meu telefone após o tempo previsto. Quando o telefone entra no modo de espera, ele sabe que é hora de brincar com outra coisa. Se você tem um filho mais velho que possui um celular,  configure o Screen Time, que permite monitorar como eles estão usando seus dispositivos e defina limites de tempo nas categorias de aplicativos, como jogos ou mídias sociais.

Os tablets também podem ser ótimas ferramentas educacionais. Muitas escolas possuem iPads individuais para os alunos usarem em tarefas, além de ser um item muito importante em longas viagens de carro ou em salas de espera. Novamente, é tudo sobre como você se adapta. Desde que você e seu filho interajam com a tecnologia ou a tela juntos, pode ser uma ferramenta incrivelmente valiosa que você não precisa temer.

Eu me preocupo

Sobre quem são os amigos dos meus filhos

Nós não definimos com quem nossos filhos andam na escola, ou seja, como vou saber se meu filho está fazendo bons amigos e consegue se defender?

Concentre sua energia para conhecer os amigos de seus filhos e educá-los sobre como fazer boas amizades. Defina datas de brincadeiras ou inscreva-o em atividades extracurriculares e converse com ele após o evento sobre como foi. Não há problema em sugerir coisas que ele pode querer fazer de maneira diferente durante o próximo encontro. Então ajude a fornecer ao seu filho o que ele pode dizer ou fazer na próxima vez. 

Também tento encorajar meu filho a fazer atividades que sejam de alto interesse para ele, em vez de escolher uma atividade apenas porque é popular. Exponha seu filho a uma variedade de atividades e siga as que ele parece gostar. Isso o ensinará a ser um líder e nem sempre acompanhará a multidão.

Se meu filho é gentil

Às vezes, observo crianças sendo malvadas, não porque são realmente más, mas porque ouviram ou testemunharam que outras pessoas são desse jeito. As crianças são como esponjas, absorvem tudo, mesmo quando você acha que não estão prestando atenção. Eu sempre tento ensinar meus filhos a usar uma linguagem gentil e tenho conversas honestas (apropriadas à idade) com eles sobre quando observam que outras pessoas são más. Discutimos o que observamos e exploramos o que outras opções que a pessoa tinha que poderiam ter levado a resultados mais positivos.

Ensine empatia: seus filhos não precisam gostar de todos, mas ainda devem ser gentis com todos. Em seguida, modele esse comportamento para eles. Convide a turma inteira para as brincadeiras realizadas no parque e cumprimente as outras famílias com um sorriso, mesmo que elas não correspondam. 

Se estou tomando as decisões educacionais certas para meus filhos

À medida que os padrões educacionais mudam, as expectativas da sociedade também mudam. Tanto é assim que parece que nossos filhos estão sendo preparados mais para a faculdade do que para a sociedade. Como pais, somos constantemente confrontados com a questão de fazer o que é certo com nossos filhos, aliás, as opções são infinitas e o futuro é desconhecido.

Embora eu não possa lhe dizer o que é certo para os seus filhos, posso dizer com confiança que nenhuma decisão que você toma por eles é imutável. Se você acha que pode pressioná-los demais, tente se afastar e veja como eles fazem. Se você não estiver satisfeito com a escola, a turma ou os extracurriculares, convoque uma reunião ou faça uma troca. Se seu filho está sofrendo na escola e ficando para trás, solicite uma avaliação. Você é o melhor advogado dele e está tudo em suas mãos. Não existe um modelo único para a educação, portanto, a tentativa e o erro são sua melhor aposta.

Se meu filho está feliz

Claro, eu sei que meu filho é mais feliz brincando do que fazendo lição de casa, mas ele é realmente feliz lá no fundo? Isso é algo que parece tão fora do meu controle como mãe. Em vez de apenas se preocupar com isso, pergunte diretamente ao seu filho como ele está se sentindo diariamente e tente não desconsiderar suas preocupações. É importante validar os sentimentos e mostrar a ele que você está aqui para ouvir.

Também é importante perceber que, embora seja comum que uma criança fique nervosa na noite anterior a uma prova, isso pode ser um sinal de um problema maior se ela manifestar preocupação constante por causas não específicas, hesitar em se envolver em atividades que, de outra forma, seriam consideradas divertidas e/ou está constantemente reclamando de sintomas físicos que não estão relacionados a problemas médicos. Se for esse o caso, converse sobre como ela se sente e tente chegar à raiz do problema. Se houver algo a incomodando, sugira estratégias. Em seguida, acompanhe se deu certo. Se mesmo assim seu filho ainda estiver com dificuldades, procure ajuda profissional para que isso não se torne problemas maiores mais tarde. 

Saber o que priorizar torna a jornada dos pais muito mais calma. Se você estiver preocupada ou estressada, lembre-se que você não é a única mãe que se sente assim. Você pode pedir ajuda a seus amigos, familiares ou profissionais”.

Leia também: 

10 conselhos de ouro de psicólogos para a criação dos filhos

Psicólogo dá 3 dicas para criar uma criança forte emocionalmente

Psicólogo dá 3 dicas para criar uma criança forte emocionalmente