Criança

“Quando Abby morreu, foi mais como perder um amigo”, desabafa pai sobre a morte de filha

O inquérito da morte de Abby ainda está aberto

Letícia Vaneli

Letícia Vaneli ,filha de Alcides e Eugênia

Abby morreu na cozinha de sua casa (Foto: Reprodução/The Daily Mail)

A família Beaumont está com os corações partidos desde que sua filha Abby Reese sufocou até a morte na frente de seu pai. A menina começou a tossir até que desmaiou no chão da cozinha. De acordo com o pai, Abby estava bem e saudável.

“É uma maneira tão triste de morrer e passamos por uma montanha-russa de emoções e estamos arrasados”, afirmou Daren em entrevista ao jornal britânico The Daily Mail. De acordo com o patologista, a garota se engasgou com algum alimento. O inquérito permanece aberto e, por 5 meses, a família não tinha respostas para o caso da filha.

O pai elogiou os amigos da filha que mostraram apoio nesse momento tão difícil (Foto: Reprodução/The Daily Mail)

No inicio desta semana, os pais de Abby foram até a escola que a filha frequentava para explicar aos colegas e direção o que havia acontecido. “Queremos expressar nossa gratidão à escola e às crianças, algumas delas foram tão especiais para nós que foram incríveis”, elogiou Daren pelo apoio que recebeu.

O pai de Abby tinha uma relação muito próxima com a filha. “Quando Abby morreu, foi mais como perder um amigo. Esse é o tipo de relacionamento que tivemos. Abby era linda, extrovertida e confiante, mas agradável e atenciosa, e sempre cuidava de crianças pequenas”, desabafou. Ele ainda contou que a garota era muito esperta e gostava de aprender novos idiomas. “Ela adorava línguas e sabia falar francês e galês fluentemente. Ela estava notavelmente bem na escola e apenas começara a falar sobre o que queria fazer com o futuro”, continuou.

“Sempre passávamos a tarde de sábado juntos quando saíamos para comer em família. Abby estava feliz por estar entre amigos e igualmente feliz em sua própria companhia. Ela nem sempre sentiu a necessidade de se cercar de muitos amigos, mas a quantidade de pessoas que vieram até nós após a morte provou quantas pessoas isso afetara em toda parte e o quanto ela era amada por tantas pessoas”, finalizou o pai.

Infelizmente, o inquérito sobre a morte de Abby não foi finalizado, mas tem previsão para estar completo até o ano que vem.

Leia também:

“Isso foi como uma facada no coração”, desabafa pai após 2 crianças irem à festa de filha autista

“Eu não aguentava minha casa e queria sumir”, desabafa mãe sobre período conturbado com o marido

Mulher desabafa sobre o peso da maternidade: “Amo meu filho, mas odeio ser mãe”