Reflexo de GAG e introdução alimentar: por que acontece e qual é a diferença para o engasgo

Bebês em idade de introdução alimentar têm com frequência o reflexo de GAG, uma manifestação espontânea do corpo. Conforme ela se desenvolve e avança no processo de conhecer as comidas, a quantidade de vezes que o reflexo acontece diminui

Resumo da Notícia

  • Crianças em idade de introdução alimentar manifestam com uma certa frequência um fenômeno chamado "reflexo de GAG"
  • Ele parece uma ânsia de vômito e faz com que a criança cuspa a comida que estava engolindo
  • Esse reflexo é um verdadeiro salva vidas quando o assunto é evitar engasgos

Você provavelmente já viu – seja pessoalmente ou em vídeos nas redes sociais – crianças em fase de introdução alimentar provando novos tipos de comida e fazendo cara de quem comeu e não gostou (literalmente). Por trás da cena, existe um fenômeno do corpo chamado reflexo de GAG que é um verdadeiro salva vidas.

-Publicidade-

O reflexo de GAG acontece quando a criança engole a comida e logo depois a regurgita, colocando a língua para fora e fazendo barulhos de quem vomita. Ele é um movimento involuntário e protetor das vias aéreas, que impede que um engasgo aconteça. Para entender melhor sobre o assunto, conversamos com o dr. Eduardo Rosset, pediatra e pneumologista, pai de Sophia e Carolina.

Quais são os sintomas do reflexo de GAG?

Os principais sintomas do reflexo de GAG são tosse e ânsia de vômito. Depois deles, os pedaços de alimentos que provocaram o estímulo involuntário são devolvidos pelo bebê, a fim de não provocar um engasgo

Quando o reflexo de GAG pode acontecer?

O reflexo aparece principalmente em bebês que estão em fase de introdução alimentar de papinhas, frutas e outros alimentos – inclusive quando os pais optam pelo método BLW. Mas, conforme a criança se desenvolve e aprende a consumir aquela comida, o número de manifestações clínicas do reflexo de GAG vai diminuindo.

Vale ficar de olho em alguns alimentos que fazem parte da introdução alimentar do bebê e na maneira como eles são ofertados. Alguns exemplos que podem causar reflexos de GAG com maior frequência são:

  • uva
  • tomate cereja
  • ovos de codorna inteiros
  • frutas secas inteiras
  • alimentos com cascas finas, como a berinjela
  • alimentos redondos ou com cortes arredondados
  • comidas que podem formar um “bolo” alimentar no céu da boca, como pães
O reflexo de GAG é um movimento involuntário do corpo humano para impedir o engasgo e acontece muito com bebês em idade de introdução alimentar
O reflexo de GAG é um movimento involuntário do corpo humano para impedir o engasgo e acontece muito com bebês em idade de introdução alimentar (Foto: Shutterstock)

O que não fazer durante um reflexo de GAG

Se o seu filho tiver um reflexo de GAG, é necessário observar e ficar atento ao que está acontecendo – porém, não é preciso intervir. Colocar o dedo dentro da boca do bebê, bater nas costas dele ou fazê-lo beber água podem piorar o quadro e resultar em um engasgo de verdade.

Como diferenciar um reflexo de GAG de um engasgo?

O reflexo de GAG e o engasgo são reações muito diferentes do corpo humano. O reflexo de GAG é uma manobra que impede que algo bloqueie as vias aéreas da criança, principalmente durante a fase de introdução alimentar.

Já o engasgo acontece após a obstrução das vias aéreas por alguma coisa – pode ser um pedaço de alimentos, como carnes, grãos ou balas, água, saliva ou até itens pequenos como brinquedos, miçangas, bolinhas de gude, pequenas baterias e moedas. Saiba mais sobre engasgo em crianças, como prevenir e evitar esse tipo de acidente doméstico.

O bebê engasgou, e agora?

É preciso estar preparado para agir caso o seu filho engasgue. É necessário realizar uma manobra para ajudar seu filho a expelir o alimento – ou outro tipo de objeto – das vias aéreas e é essencial saber realizado. Por vezes, até o serviço de emergência chegar pode ser tarde demais. Veja como desengasgar a criança ou o bebê no vídeo abaixo: